Elogiado por Muricy Ramalho, Edson Silva festeja boa fase da defesa Tricolor

  • Por Jovem Pan
  • 15/09/2014 19h05
Para Muricy Ramalho

Um dos destaques da vitória são-paulina frente ao Cruzeiro no último domingo, Edson Silva se mostra confiante no sucesso do time. A cada vez que o zagueiro conseguia um desarme, um cabeceio e até um chute de fora da área foram motivos para a torcida Tricolor aplaudir de pé a atuação do dono da camisa 21.

“Por incrível que pareça, nunca tinha acontecido isso antes na minha carreira. Agradeço aos elogios e aos aplausos da torcida. Fico feliz pela equipe, porque um está passando confiança para o outro. Esse momento que estou vivendo me deixa bastante contente e motivado”, celebrando a melhor fase da carreira do jogador.

Titular nos últimos dez jogos, o jogador é superado apenas por Rogério Ceni (30). De acordo com o zagueiro, que chegou ao clube no início de 2012, a sequência trouxe mais confiança para continuar entre os 11 escolhidos por Muricy Ramalho. Ao lado de Rafael Toloi, o marcador deu segurança ao setor e cresceu junto com a boa sequência de vitórias do São Paulo.

 “Temos que manter a pegada e concentração. Quem entra no time tem que dar conta do recado e procurar ajudar sempre”, acrescentou Edson Silva.

Muricy lembra que Edson Silva nem ficava no banco em alguns jogos, e assim como Denilson, os dois jogadores ganharam a confiança do treinador. “É o mais difícil para o atleta. Toda hora tem exemplo assim no nosso time, Denilson, Edson Silva… Não é simpatia ou favor nenhum. O técnico não tem ouvido para uns malas que tem ao lado. Não tem conversa aqui. O Edson também, às vezes nem no banco ficava. Ele é um cara que cumprimentava todo mundo, sempre de cara boa, e nem no banco ficava”, disse Muricy.

“Eles iam para o treino e era duro. Se eu não tivesse essa postura em todos os lugares que passei não ia ter recuperação. Eu penso diferente. A gente nunca pode desistir do jogador, desde que ele não desista dele. Não é que eu faço coisa boa, eles conseguiram os lugares deles pelo trabalho”, concluiu o treinador são-paulino.