Em abril, Rogério Ceni revelou receio de treinar o São Paulo: “exposição e risco”

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2016 11h47

Maior ídolo da história do São PauloMaior ídolo da história do São Paulo

Na última segunda-feira, o presidente do São Paulo, Leco, confirmou que o clube tem o interesse de contratar Rogério Ceni como técnico em 2017. Tudo dependeria da vontade do ex-goleiro, que tem feito cursos na Europa e estudado bastante para exercer a nova função. 

Em abril, Ceni concedeu uma de suas raras entrevistas exclusivas pós-aposentadoria ao locutor Nilson Cesar, da Rádio Jovem Pan. Nela, revelou ter receio de trabalhar no clube pelo qual jogou por mais de duas décadas. 

Quem sabe, no futuro, eu possa estar dentro do São Paulo. Num futuro um pouco mais distante, eu acho. É um sonho que eu tenho, mas misturado com um pouco de receio por tudo que foi construído durante estes 25 anos e meio como atleta do clube. Um sonho que às vezes me deixa na dúvida se vale à pena a exposição e o risco, admitiu Ceni, na ocasião.

Tal declaração, dada em abril, quando o São Paulo ainda estava vivo na Copa Libertadores da América, dá indícios de que o ex-goleiro dificilmente aceitará o convite de Leco no início do ano que vem. O time tricolor, afinal, caiu de rendimento desde então e, hoje, luta para não cair para a segunda divisão nacional. 

Embora a diretoria prometa reforços de peso para a próxima temporada, Ceni pode preferir aguardar um período de mais estabilidade para colocar toda a sua reputação à prova no cargo que mais pressiona profissionais no futebol. 

Um primeiro passo pode ser começar como auxiliar. Mas, neste caso, tudo dependeria do nome do técnico com quem o ex-goleiro trabalharia – Ceni não quer atuar com um profissional que não lhe agrade, e também há o risco de o ex-jogador virar sombra de um amigo, como, por exemplo, Juan Carlos Osorio, Ricardo Gomes ou Paulo Autuori. 

Por enquanto, Rogério Ceni tem se preocupado, mesmo, em concluir a especialização na Europa. Ele iniciou o curso de treinadores da Federação Inglesa de Futebol no mês passado, quando teve a oportunidade de conversar com o alemão Jurgen Klopp, do Liverpool, e o italiano Claudio Ranieri, do Leicester, e vai voltar à Inglaterra na próxima sexta-feira para cursar o segundo módulo.   

Se não aceitar nenhum convite depois da conclusão desta etapaCeni poderá ingressar no curso da Uefa e partir atrás das licenças A e B, que permitem que um técnico trabalhe em qualquer clube do mundo.