Em alta, Malcom faz até de falta e já fala em deixar Bordeuax para “progredir”

  • Por Jovem Pan
  • 02/02/2017 19h11

Ex-corintiano Malcom está no Bordeaux desde janeiro do ano passado

Ex-corintiano Malcom está no Bordeaux desde janeiro do ano passado

Titular do Corinthians campeão brasileiro de 2015, Malcom está de bem com a vida. Na França desde janeiro do ano passado, o atacante de 19 anos venceu apertos e já se considera 100% adaptado ao futebol europeu. 

Xodó alvinegro na campanha do hexaMalcom é um dos principais jogadores do Bordeaux na temporada.

Titular absoluto do time comandado por Jocelyn Gourvennec, o jovem já se ajustou à cultura francesa e também ao estilo de jogo da Ligue One. 

Ao contrário dos tempos de Corinthians, quando jogava apenas aberto pela esquerda, Malcom tem se alternado entre os dois lados e até o centro no ataque do time francês.

Autor de cinco gols na temporada, o brasileiro balançou as redes até de falta, no último fim de semana, diante do Nancy, em jogada que leva a marca do mais novo reforço corintiano. 

“Quando eu era pequeno, falava que queria bater falta igual ao meu avô. Só que, quando subi para os profissionais do Corinthians, passei a observar as cobranças do Jadson. Procurei treinar um pouco de falta com ele, e está dando certo“, celebrou Malcom, em entrevista exclusiva a André Ranieri que vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan.

O momento é tão bom que o jovem já fala até em deixar o Bordeaux para alçar voos maiores. “Eu não penso em ficar a minha carreira toda aqui no Bordeaux…“, admitiu. Está sendo muito bom, um aprendizado legal, o clube é grande na França, mas sigo trabalhando no dia-a-dia para, quem sabe, se pintar alguma proposta, ir embora… Tem que progredir na carreira. 

Vendido pelo Corinthians por cinco milhões de euros, Malcom diz ter maturidade suficiente para ficar anos e mais anos na Europa. “Muitos brasileiros acabam desistindo da Europa por causa da adaptação, por não falar outros idiomas. Mas eu já sabia. Vim para a França com a consciência de que o início seria complicado. Agora, estou bem, tranquilo, consigo me comunicar com qualquer pessoa. É só ter dedicação”, discursou. 

A possibilidade de vestir a camisa da Seleção, no entanto, ainda não é ventilada por Malcom – mesmo que o técnico do time nacional seja Tite, com quem o jovem trabalhou na conquista do título brasileiro de 2015. De acordo com o ex-corintiano, a concorrência é pesada demais para que ele se coloque entre os candidatos a uma vaga no ataque canarinho. 

“Agora não é hora de falar em Seleção“, pediu o jogador, que soma boas passagens pelos times de base da CBF. “Eu sou um cara muito sincero. A Seleção principal tem muitos jogadores de qualidade. Futuramente, daqui a uns quatro, cinco anos, pode até ser. Mas, agora, eu estou pensando apenas em trabalhar e fazer o meu nome aqui no Bordeaux“, finalizou.