Em baixa, Espanha tenta reencontrar melhor futebol contra a Ucrânia

  • Por Agencia EFE
  • 26/03/2015 12h54
Zagueiro Sérgio Ramos concede entrevista antes de jogo contra a Ucrania

A seleção espanhola entrará em campo nesta sexta-feira, às 16h45 (horário de Brasília), para encarar a Ucrânia, pelo grupo C das Eliminatórias para a Eurocopa de 2016, de olho em encontrar a regularidade perdida após o mau desempenho na Copa do Mundo do ano passado.

O duelo acontecerá no estádio Ramón Sánchez Pizjuán, em Sevilha, e reunirá as co-vice-líderes da chave. As duas seleções estão com nove pontos, três atrás da Eslováquia, que no mesmo horário, encarará Luxemburgo, lanterna com apenas um ponto.

O local da partida parece ter sido escolhido a dedo, já que os espanhóis nunca perderam na casa do Sevilla. Em 24 partidas no estádio, foram 19 vitórias e cinco empates, sendo que na última vez a seleção bateu a Bolívia por 2 a 0, em 30 de maio do ano passado.

Aliás, contra os ucranianos, os anfitriões do jogo desta quinta-feira defenderão invencibilidade de 29 jogos como mandante. A última derrota aconteceu em 7 de junho de 2003, para a Grécia, por 1 a 0, pelas Eliminatórias para a Euro de 2004, em partida disputada em Zaragoza. Ao todo, são 25 derrotas e quatro empates.

Desde o Mundial, quando foram eliminados na primeira fase, os comandados por Vicente del Bosque entraram em campo seis vezes, perdendo a metade delas, contra França, Eslováquia e Alemanha, e vencendo Macedônia, Luxemburgo e Belarus, Mesmo nos êxitos que obteve, a seleção não conseguiu convencer.

Para o duelo com a Ucrânia – e amistoso com a Ucrânia, que acontecerá na terça-feira -, os espanhóis seguirão dando sequência ao trabalho de renovação iniciado após a Copa. Entre as novidades estão o meia Vitolo Machín, do Sevilla, Mario Suárez, do Atlético de Madrid, o atacante Juanmi, do Málaga.

A principal baixa para a partida é a do centrovante Diego Costa, do Chelsea, que foi cortado por lesão. O favorito para substituir o brasileiro nesta quinta-feira é Álvaro Morata, da Juventus, mas Isco pode ser escalado, para que Cesc Fàbregas seja “falso nove”.

Outra expectativa era quanto a escalação ou não de Iker Casillas, depois de falhas recentes do goleiro do Real Madrid. Del Bosque, no entanto, deverá manter o capitão na equipe, deixando David de Gea, do Manchester United, no banco de reservas.

A Ucrânia, por sua vez, chega para a partida invicta fora de casa, depois de ter batido Belarus e Luxemburgo. Dentro de seus domínios a equipe comandada por Mikhail Fomenko perdeu para a Eslováquia e derrotou a Macedônia.

Para o jogo, os visitantes não contarão com o zagueiro Ivan Ordets, do Shakhtar Donetsk, e o meia Serhiy Sydorchuk, do Dínamo de Kiev, que estão lesionados. Andriy Yarmolenko, autor dos três gols na vitória sobre os luxemburgueses, em novembro, está confirmado.

Esta será a quinta vez que espanhóis e ucranianos duelarão, e o retrospecto aponta total favoritismo aos campeões mundiais em 2010, que venceram três vezes e empataram uma.