Em entrevista, Blatter diz ter consciência limpa e afirma: “vou para o céu”

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2015 15h41
Joseph Blatter

Em meio ao escândalo de corrupção na Fifa e em outras entidades do futebol mundial, o presidente Joseph Blatter está lavando suas mãos. Nesta quarta-feira (1), foi divulgada uma entrevista do mandatário da Fifa à revista Bunte, da Alemanha, e nessa conversa ele fez questão de exaltar sua fé e negar que seja uma pessoa má.

“A minha fé me deu força durante a última semana. Eu sou uma pessoa religiosa e rezo também. Eu possuo um crucifixo dourado abençoado pelo Papa Francisco. Eu acredito que vou para o céu um dia, mas também acho que não há inferno. Eu discordo do Papa nesse ponto”, afirmou Blatter. “Eu tenho a consciência limpa. Se alguém me acusar de ser corrupto, vou perguntá-lo o significado dessa palavra. Quem me chamar de corrupto terá que provar isso, mas ninguém pode fazer isso porque não sou corrupto”, prosseguiu o presidente, que foi reeleito para o cargo máximo da Fifa em maio, mas acabou tomando a decisão dias depois de anunciar que convocaria novas eleições e deixaria o cargo.

A investigação da Justiça dos Estados Unidos e da Justiça suíça no caso de corrupção dentro da entidade máxima do futebol mundial levou à prisão de sete dirigentes no final de maio. Mesmo com os problemas, Blatter assegura que é uma pessoa aberta ao diálogo.

“Estou aberto a críticas positivas. Eu posso considerar isso se precisar mudar no futuro. Mas, se alguém me chama de corrupto porque a Fifa é corrupta, só posso sacudir a cabeça. Todo mundo que disser algo do tipo deve ir para a cadeia”, finalizou.