Em jogo de goleiros, Krul brilha nos pênaltis e Holanda supera Costa Rica

  • Por Jovem Pan
  • 05/07/2014 19h52
Netherlands' goalkeeper Tim Krul (R) makes a save from Costa Rica's forward and captain Bryan Ruiz during a penalty shoot-out after extra-time during a quarter-final football match between Netherlands and Costa Rica at the Fonte Nova Arena in Salvador during the 2014 FIFA World Cup on July 5, 2014. AFP PHOTO / FABRICE COFFRINIAcompanhe todas as emoções de Holanda x Costa Rica em imagens

Keylor Navas e Krul. Em um jogo com 120 minutos sem gols, os melhores em campo dificilmente deixariam de serem goleiros. Grande responsável por segurar a Holanda, o arqueiro Keylor Navas, da Costa Rica, brilhou neste sábado (5), na Arena Fonte Nova, em Salvador (BA), e ajudou sua equipe a levar a decisão para a prorrogação. Nos dois tempos extras, o placar do duelo também seguiu inalterado e a definição do classificado foi para as penalidades máximas. Nos pênaltis, Krul, que entrou no lugar de Cillessen somente para as penalidades, foi o grande responsável pelo triunfo da Holanda por 4 a 3 e, consequentemente, pela classificação.

Depois de os primeiros 120 minutos serem marcados pela falta de gols, os pênaltis serviram para o desempate e, nas cobranças, a Holanda venceu e se classificou. Todos os cobradores holandeses converteram (Van Persie, Robben, Sneijder e Kuyt) e, do lado da Costa Rica, Bryan Ruiz e Umanã tiveram suas cobranças defendidas por Krul.

Nas semifinais da Copa do Mundo, a Holanda vai medir forças com a Argentina que, também neste sábado, se classificou ao superar a Bélgica por 1 a 0. O jogo será disputado na quarta-feira (9), às 17h (de Brasília), na Arena Corinthians, em São Paulo (SP). A outra semifinal, na qual o Brasil mede forças com a Alemanha, será na terça-feira (8), também às 17h, mas no estádio Mineirão, em Belo Horizonte. 

O jogo – A partida na Arena Fonte Nova começou morna e a Costa Rica equilibrou as ações nos primeiros momentos. A primeira grande oportunidade de gol foi criada somente aos 21 minutos, quando Depay recebeu cruzamento de Kuyt e tocou para Van Persie, que finalizou cruzado, mas o goleiro Navas fez boa defesa. Na sobra, Sneijder finalizou, mas o arqueiro costarriquenho apareceu bem novamente.

A Holanda começou a se soltar em campo e, aos 28, a Laranja Mecânica chegou novamente com perigo quando, após erro de passe da Costa Rica, Van Persie puxou contra-ataque e lançou Depay na esquerda. O camisa 21 bateu para o gol e exigiu boa intervenção de Navas.

O goleiro da seleção da Costa Rica mostrou de novo por que está sendo considerado um dos melhores da Copa aos 37 minutos. Em cobrança de falta de Sneijder, a bola foi para o lado direito da meta e Keylor Navas se esticou e fez uma belíssima defesa, evitando o primeiro gol holandês.

O primeiro tempo terminou sem gols, mas a Holanda foi a responsável pelas melhores oportunidades de fazer 1 a 0.

O começo de segundo tempo não foi de muitas emoções, mas os holandeses tomavam mais a iniciativa de ir para o ataque. Porém, aos 19 minutos, quase que a Costa Rica surpreendeu. Após cobrança de falta na segunda trave, González se esticou, mas a cabeçada acabou indo para fora.

Aos 29, a Holanda teve falta para cobrar da meia esquerda e Sneijder levantou a bola na área, mas Vlaar acabou cabeceando a bola por cima do travessão do gol defendido por Keylor Navas.

Os representantes dos Países Baixos bateram na trave, literalmente, aos 36 minutos. Após falta de González em cima de Robben, do lado esquerdo, Sneijder fez a cobrança com muita categoria e acertou o poste direito da trave de Navas. Costa Rica se salvou.

Quando não era a trave, o maior obstáculo para os holandeses era Navas. Dois minutos depois da chance com Sneijder, Van Persie teve grande oportunidade para inaugurar o marcador, mas o arqueiro costarriquenho fez uma excelente defesa. Mais uma excelente aparição do goleiro.

A Holanda continuou tentando impor pressão até o fim do jogo. Aos 43, quem teve a oportunidade de selar o destino da seleção europeia foi Van Persie, que recebeu cruzamento de Sneijder na medida, mas furou dentro da área ao tentar bater de direita, pé que não é o seu melhor.

O mesmo Van Persie teve outras duas chances na sequência. Aos 46, ele cobrou falta do lado direito, direto para o gol, e Navas defendeu. Ainda houve tempo para os comandados de Van Gaal perderem uma chance inacreditável aos 47. O cruzamento de Blind veio da esquerda, rasteiro, passou por quase toda a área e chegou até Van Persie, na direita. Ele pegou de esquerda e mandou uma bomba. Desta vez, Keylor Navas nada pôde fazer, mas Tejeda estava em cima da linha para salvar a Costa Rica. A bola ainda pegou na trave depois de explodir no defensor.

O tempo regulamentar terminou sem gols e a decisão foi para a prorrogação. No primeiro tempo extra, aos três minutos, a Holanda quase fez 1 a 0, após cabeçada de Vlaar em lance de escanteio, mas Navas estava lá novamente para atrapalhar os planos holandeses e fazer a defesa.

Ureña tentou cavar um pênalti aos sete minutos, após leve contato com Vlaar, mas o árbitro nada marcou. O costarriquenho ainda tomou uma bronca do defensor holandês, que não aprovou a atitude do adversário. A etapa inicial de prorrogação terminou como os 90 minutos iniciais, sem gols.

Nos primeiros minutos do segundo tempo extra, poucas chances de gol foram criadas, mas aos nove minutos, a Costa Rica chegou com Ureña, mas De Vrij travou o chute do oponente. Dois minutos mais tarde, foi a vez de o goleiro Cillessen fazer a sua única grande defesa na partida e evitar a zebra na prorrogação.

A Holanda voltou a dar um ‘gelo’ nos costarriquenhos aos 13, quando Sneijder fez a conclusão na entrada da área, mas o chute carimbou o travessão do gol de Navas. No rebote, Robben mandou para o gol, mas a bola explodiu em Van Persie, que atrapalhou o arremate de seu companheiro.

Já se preparando para a decisão nos pênaltis, o técnico Louis Van Gaal sacou o goleiro Cillessen e colocou Krul. E a decisão foi mesmo para as penalidades máximas.

Nos pênaltis, a aposta do técnico da Holanda se mostrou acertada. Krul defendeu as cobranças de Bryan Ruiz e Umaña, Van Persie, Robben, Sneijder e Kuyt converteram todas as chances holandesas e garantiram a Laranja Mecânica nas semifinais. Os atuais vice-campeões mundiais seguem sonhando com a segunda final seguida em Copas do Mundo.