Em jogo imprevisível, Bolívia marca três, permite reação, mas vence o Equador

  • Por Jovem Pan
  • 15/06/2015 19h56
Primeiro tempo foi marcado pela comemoração boliviana

Se contra o México a Seleção Boliviana protagonizou um jogo sonolento, a partida diante do Equador foi totalmente o oposto. As duas seleções se enfrentaram nesta segunda-feira (15) pela segunda rodada do Grupo A da Copa América e deram muitas emoções a seus torcedores, com direito goleada no primeiro tempo, reação no segundo e um placar de 3 a 2 para a Bolívia, que ficou perto da vaga para a próxima fase.

Antes do primeiro minuto, Marcelo Moreno obrigou Domínguez a espalmar em cobrança de falta. Aos 4 minutos não teve jeito: Raldes apareceu livre na área para cabecear de peixinho e acertar o canto. Atrás no placar, o Equador partiu para cima, mas não criou grandes chances de empatar. Pior: viu o adversário ampliar quando Pedriel roubou a bola no ataque e passou para Moreno, que rolou para Smedberg bater colocado e fazer 2 a 0 com muita classe.

O time equatoriano aumentou a pressão e conseguiu levar perigo à meta rival, mas parou nas boas defesas do goleiro Quiñónez, especialmente em finalizações de Enner Valencia e Noboa. A chance de descontar finalmente apareceu quando o árbitro marcou um duvidoso empurrão de Zenteno em Valencia. O atacante então balançou as redes, mas teve de repetir a cobrança por conta de uma invasão. Na repetição, Quiñónez acertou o canto e fez grande defesa. Como se não bastasse, poucos depois Erazo tentou tirar a bola da área e acertou o rosto de Lizio. Pênalti que Marcelo Moreno cobrou com força e precisão para marcar o terceiro da Bolívia.

Apesar da enorme desvantagem, o Equador mostrou, pelas chances criadas na primeira etapa, que não seria tão difícil marcar um gol. E, no segundo tempo, com dois minutos de bola rolando a defesa boliviana vacilou, Montero dominou livre na área e rolou para Valencia empurrar para as redes. O revés apenas fez a Bolívia se fechar ainda mais na defesa, se limitando a assistir o adversário tentar descontar novamente.

Os equatorianos, mesmo dominando a partida, só conseguiram chegar novamente ao gol aos 36 minutos. Bolaños dominou na intermediária, avançou, ajeitou o corpo e soltou uma bomba para vencer Quiñónez. Pouco depois, Montero repetiu a dose e só não empatou porque a bola carimbou o travessão. Para manter o costume, Cazares também fez uso dessa estratégia e parou em bela defesa do goleiro.

Apesar do sufoco, a Bolívia conseguiu segurar a vantagem e, com a vitória, chegou a quatro pontos no Grupo A contra nenhum do Equador e ficou perto da classificação – especialmente se o Chile vencer o México nesta segunda. Na próxima rodada, os equatorianos, quase eliminados, enfrentam o México na sexta-feira (19) enquanto os bolivianos pegam os chilenos no mesmo dia.