Em nova denúncia do caso Neymar, diretor da DIS dispara: “fomos burlados”

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2015 13h59
Em 2015

Os imbróglios envolvendo a transferência de Neymar para o Barcelona continuam. Nesta quarta-feira (17), o Tribunal de Justiça Espanhol, a Audiência Nacional, aceitou nova denúncia do caso e pela primeira vez Neymar está entre os denunciados.

No processo, pedido pela DIS, empresa detentora de 40% do passe de Neymar na época da negociação, o Ministério Público espanhol verificou que existem indícios de simulação de contratos para recebimento de terceiros. Também são réus, o pai de Neymar, o ex-presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, o ex-presidente do Santos, Luís Álvaro de Oliveira e o ex-vice-presidente, Odilio Rodrigues.

Em entrevista exclusiva à Rádio Jovem Pan, Roberto Moreno, diretor da DIS, explica a situação. “Nós entendemos que fomos burlados. Quando pegamos o Neymar ele era um garoto e nós apostamos. Hoje nós não recebemos os 40% a que temos direito”.

Moreno explicou os valores que a DIS pretende receber, caso vença o processo. “Queremos receber nossos 40%, mas não dos 17 milhões de euros declarados e sim dos 94 milhões de euros totais”, disse.

Questionado sobre o porquê de dois dirigentes do Santos serem réus, Moreno salientou que o clube também foi beneficiado. “Segundo nosso ponto de vista, houve simulação de contratos por parte do Santos. Amistoso e negociação de atletas. O Santos também foi beneficiado de parte disto, mas reconheço que também foi enganado”.

A Justiça espanhola prevê punição para o crime de sonegação de três a sete anos de detenção. Mesmo a demanda sendo criminal ainda há espaço para uma saída civel com indenização ou acordo como soluções.