Emirados Árabes vencem o Iraque e ficam com 3º lugar na Copa da Ásia

  • Por Agência Estado
  • 30/01/2015 09h46
Emirados superam Iraque e ficam com o 3º lugar na Copa da Ásia

Pela segunda vez na história, os Emirados Árabes Unidos terminaram entre os três primeiros em uma edição da Copa da Ásia. Na Austrália, a seleção derrotou nesta sexta-feira o Iraque por 3 a 2, em jogo agitado e cheio de reviravoltas, e ficou com a terceira colocação. Somente em 1996, quando sediaram o torneio, haviam conseguido melhor resultado, ficando com o vice.

O resultado coroou uma campanha surpreendente. Depois de passarem como segundo colocado do Grupo C na primeira fase, com vitórias sobre Catar e Bahrein e derrota para o Irã, os Emirados Árabes bateram o favorito Japão nas quartas de final, nos pênaltis. Na semifinal caíram diante dos donos da casa, os australianos, mas a derrota não desanimou o time, que deu a volta por cima nesta sexta.

Ahmed Khalil foi o grande herói do triunfo sobre os iraquianos. Ele marcou o primeiro gol logo aos 16 minutos, em lindo contra-ataque, no qual recebeu e tocou na saída do goleiro. A partir daí, no entanto, só deu Iraque no primeiro tempo. Aos 28, Salim invadiu a área pela direita e encheu o pé para empatar. Khalaf, aos 42, aproveitou rebote para virar. E se não fosse o goleiro dos Emirados Árabes, o prejuízo poderia ter sido maior.

Na etapa final, os Emirados Árabes voltaram a começar melhor, mas desta vez mantiveram o domínio. Aos seis minutos, Khalil recebeu lindo lançamento e driblou o goleiro antes de marcar seu segundo na partida. Aos 10, Ibrahim cometeu pênalti e foi expulso. Mabkhout cobrou com categoria, garantiu o triunfo e a terceira colocação.

Agora, todos os olhos voltam-se para a decisão deste sábado, às 7 horas (de Brasília), entre Austrália e Coreia do Sul. Os australianos contam com a torcida da casa para chegarem ao primeiro título – disputam a competição somente pela terceira vez -, mas os sul-coreanos tentam a terceira conquista e têm a favor o retrospecto, já que venceram o mesmo rival na fase de grupos.