Enderson Moreira destaca evolução de Geuvânio: “conquistou o espaço”

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2014 08h39
Geuvânio comemora segundo gol do Santos Folhapress Santos vence o Goiás por 2 a 0 no Pacaembu

Mais importante do que os três pontos, a vitória santista sobre o Goiás por 2 a 0, no Pacaembu, valeu mais pela confiança adquirida pelos jogadores. Essa é a opinião do técnico Enderson Moreira, que destacou também a evolução de Geuvânio, que caiu muito de rendimento após o Campeonato Paulista e agora volta a ser importante para o Peixe: nos últimos dois jogos, o jovem meia balançou as redes por duas vezes.

Superior ao Goiás durante toda a partida, o Santos teve alguns destaques positivos, entre eles, o meia Geuvânio, que tem voltado a ganhar espaço com a chegada de Enderson. “Durante toda minha carreira como treinador, trabalhei com muitos jovens. Eles têm tendência a oscilar mais do que os mais maduros, veteranos e rodados. Quando há essa queda, o jogador é exposto, mas não sei se esse foi o caso. Percebi nos treinamentos que o Geuvânio começou a ser aquele jogador que eu via pela televisão: participativo, rápido, de drible. Está aproveitando as oportunidades e conquistou o espaço”, garantiu o técnico. 

Maior contratação do Peixe para a temporada, Leandro Damião ficou no banco de reservas e Enderson justificou a escolha. “São variações. Às vezes coloco Gabriel, ou Damião, ou os dois juntos. Nem por isso eles deixam de ser titulares. Nem nosso goleiro conseguiu jogar todas até o fim do ano. Temos de perceber quem está bem para jogar e poupar alguns [Aranha, Cicinho e Robinho foram poupados diante do Goiás]. Precisamos controlar isso sem perder padrão”, disse.

Apesar da boa partida do Peixe, o Goiás teve seu rendimento prejudicado por um erro claro de arbitragem. No segundo tempo, Esquerdinha arriscou de longe, a bola tocou no travessão, pingou dentro do gol e saiu. Nem assistente e nem juiz de linha de fundo validaram o tento esmeraldino. “São lances difíceis. Tem um cara ali, mas é difícil. Às vezes, o auxiliar está na linha errada. Lamento muito que isso tenha acontecido contra o Goiás. Conheço pessoas lá. Poderíamos ter saído com um resultado melhor contra o Sport, mas tiveram erros, também. Lamentamos muito e entendemos que há situações complicadas no futebol. Infelizmente, aconteceu mais um erro”, lamentou Enderson, que comandou o Goiás entre 2011 e 2013.

Com o triunfo diante do Goiás, o Peixe chegou aos 36 pontos e agora está sete pontos distante do G-4. “A vitória é importantíssima por isso. Fizemos um jogo bom contra o Atlético-MG, mas tomamos dois gols e perdemos o equilíbrio do jogo. Poderíamos até termos tomado cinco no primeiro tempo. Tomamos o terceiro e mesmo assim faltou pouco para empatarmos. Foi importante manter um comportamento igual hoje e ganhar”, celebrou. 

Na próxima quarta-feira (01), o Santos retorna aos gramados para enfrentar o Botafogo, no Maracanã, pela ida das quartas de final da Copa do Brasil. Apesar do pouco tempo de recuperação, Enderson garantiu que não dará mais atenção a uma competição em detrimento da outra. “Não é prioridade. Isso não faz parte da minha conduta. Eu não tenho prioridade. O que me impediu de escalar Robinho, Aranha e Cicinho foi a condição física dos três. Jogadores podem ficar fora por questões técnicas, clínicas e físicas, também. Na quinta-feira tivemos um jogo extremamente difícil e os jogadores não conseguiram se recuperar para hoje. Estamos diminuindo a possibilidade de ter lesão muscular agora. Se um jogador tiver, pode ficar fora até o fim do ano. Dentro dos padrões, temos de preservar. Não é uma decisão apenas minha, mas amparada em parâmetros científicos e técnicos”, finalizou o Enderson.