Espanha passa novo vexame, perde para Chile por 2 a 0 e já está eliminada

  • Por Jovem Pan
  • 18/06/2014 17h53
Chilenos celebram gol e vitória parcial sobre a Espanha AFP Chilenos celebram gol e vitória parcial sobre a Espanha

A atual campeã mundial passou mais um vexame e já está eliminada da Copa do Mundo com apenas dois jogos disputados. Na tarde desta quarta-feira (18), a Espanha entrou em campo para enfrentar o Chile, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ), e jogando um futebol tão ruim quanto na estreia contra a Holanda, os espanhóis não tiveram chances e foram derrotados pelo placar de 2 a 0.

No primeiro tempo, Vargas abriu o placar para a seleção chilena e, nos minutos finais da etapa inicial, Aránguiz ampliou a vantagem dos sul-americanos e fez o gol que selou o triunfo.

Com a derrota, a Espanha segue sem pontuar na Copa do Mundo e já está eliminada após duas partidas disputadas. Já o Chile vence a sua segunda na competição e já está classificado para a fase de mata-mata, assim como a Holanda, que derrotou a Austrália mais cedo, por 3 a 2, e também avançou para a segunda fase.

Na terceira e última rodada do grupo B, o Chile mede forças com a Holanda, em duelo que vale a primeira colocação da chave. Essa partida será realizada na segunda-feira (23), às 13h (de Brasília), na Arena Corinthians, em São Paulo (SP). Já a Espanha tem pela frente a Austrália, em confronto de eliminados. Essa última partida será na Arena da Baixada, em Curitiba (PR), e está marcada para o mesmo horário do outro embate do grupo.

O jogo – A Espanha começou tomando sufoco desde os primeiros instantes da etapa inicial. Com poucos segundos de partida, Vidal fez boa jogada, tocou para Vargas e o deixou na cara do gol, mas a defesa espanhola cortou e quase mandou contra.

No lance seguinte, após cobrança de escanteio, a defesa corta mal e Jara quase abriu o placar de cabeça.

A primeira chance espanhola foi aos 14, quando após falha defensiva do Chile, Diego Costa recebeu a bola e bateu cruzado. A bola chegou até os pés de David Silva, que chutou, mas viu o goleiro Bravo fazer a defesa.

Depois de pressionar a Espanha nos primeiros minutos, o Chile não demorou a abrir o placar. Com 19 minutos, Vidal puxou contra-ataque e rolou a bola para Alexis Sánchez. Ele mandou para Vargas, que se livrou do goleiro Casillas e mandou para o fundo do gol.

Sete minutos depois do gol, os espanhóis responderam em arremate de Diego Costa, mas o chute foi na rede pelo lado de fora. Após essa chance espanhola, a partida ficou mais morna e poucas oportunidades foram criadas.

No final do primeiro tempo, entretanto, os chilenos jogaram mais um balde de água fria nos atuais campeões mundiais aos 42 minutos. Alexis Sánchez cobrou falta no canto do gol e Casillas espalmou mal, para o meio da área. A bola sobrou para Aránguiz e ele mandou para o gol e fez 2 a 0.

O primeiro tempo terminou com o Chile vencendo a Espanha por 2 a 0 e jogando um futebol bem mais inspirado do que o adversário.

No segundo tempo, a Espanha teve chance em cobrança de falta aos sete, mas após a batida de Sergio Ramos, Bravo espalmou. Na sobra, Diego Costa cruzou na área, mas Sergio Busquets perdeu a chance na frente do gol ao finalizar para fora.

A Espanha tentava pressionar, mas não conseguia levar perigo ao gol chileno. E, aos 18 minutos, Del Bosque sacou Diego Costa e lançou Fernando Torres a campo para tentar uma reação improvável.

Aos 22 minutos, o Chile teve uma grande oportunidade de ampliar o marcador, quando Mena cruzou e Isla se jogou de carrinho para desviar para o gol, mas mandou o arremate por cima do gol de Casillas.

Dois minutos mais tarde, o Chile partiu em velocidade com Sánchez, ele cruzou da direita para Vargas, mas o arremate de cabeça foi para fora.

A Espanha teve chance para diminuir aos 34, quando Santi Cazorla, que havia acabado de entrar no lugar de Pedro, chutou de canhota de fora da área, buscando o canto, mas Bravo espalmou para escanteio.

O goleiro chileno apareceu bem novamente aos 38, quando defendeu arremate de Iniesta de fora da área.

Cazorla finalizou no canto aos 42 e o goleiro chileno Bravo novamente foi o obstáculo que impediu o primeiro gol espanhol. Com um futebol muito ruim, nada mais justo do que a eliminação da Espanha. Gritos de “eliminado” partiam da torcida do Chile. E nem mesmo com os seis minutos de acréscimos dados pelo árbitro os espanhóis conseguiram marcar um gol de honra.