Especialista: Redução de pena de Neymar é improvável e deve ser cumprida na Eliminatória

  • Por Jovem Pan
  • 20/06/2015 14h38
Muito nervoso durante a partida

Para entender melhor a punição sofrida por Neymar na Copa América, suas consequências e possibilidades de redução, a Flávio Prado e Luís Carlos Quartarollo, da Rádio Jovem Pan, entrevistaram Jean Nicolau. Jean é advogado especialista em direito penal e autor do livro “Comentários ao novo código de disciplina da Conmebol” e além de explicar o motivo da suspensão de quatro jogos, disse ser improvável sua diminuição.

“Um jogo é por acúmulo de cartões amarelos; outro é suspensão automática pelo vermelho; essas duas partidas são indiscutíveis. Além disso, teoricamente houve insulto ao árbitro da partida e atos violentos contra atletas. Por isso quatro partidas de suspensão. O que a defesa do Neymar vai tentar é diminuir esses dois jogos excedentes”, explicou o advogadou. “A pena não choca se analisarmos friamente o código de disciplina da Conmebol, mas não deixa de ser algo complicado se a gente olhar pelo o que o Neymar vem sofrendo na competição, a violência em cima dele”.

Jean Nicolau acredita que, caso o Brasil não avance à final, Neymar terá de cumprir os jogos excedentes de sua punição nas próximas Eliminatórias para a Copa do Mundo, que são organizadas pela Fifa e a Conmebol. A entidade sul-americana, aliás, tem sido bastante rígida na aplicação das penas nos últimos anos.

“A Conmebol vem assumindo posições implacáveis em alguns casos. Para alguns é demasiadamente rigorosa, mas de fato dentro do que o código prevê. É um código que poderia ser mais preciso. Ele dá muita margem para o julgador, mas não se pode dizer que os julgadores vêm aplicando com rigor a letra da lei”, explica. Para ele, ainda há possibilidade de diminuição da suspensão de Neymar, porém será difícil consegui-la.

“Há a possibilidade de diminuir a pena para três partidas. Vale lembrar que insultos a árbitros, de acordo com a nova redação do código da Conmebol, devem implicar uma suspensão de no mínimo dois jogos. Se você partir do princípio que, além da suspensão por acúmulo de cartão, ele pegou uma de três jogos, é possível discutir com base nisso”, disse. “É possível, hipoteticamente, mas francamente eu não acredito nisso”.

Com isso, a Seleção Brasileira terá de passar, provavelmente, o restante da Copa América sem seu principal craque. A única chance seria a diminuição de um jogo em sua pena, o que lhe possibilitaria disputar uma hipotética final. Entretanto, primeiramente o time de Dunga terá de passar de fase vencendo a Venezuela neste domingo (21), no último confronto da primeira fase.