Especulado no Chelsea, Pato deveria ficar no Corinthians ou ir para Londres?

  • Por Jovem Pan
  • 11/12/2015 18h20
No Chelsea

Depois de se despedir do São Paulo, o atacante Alexandre Pato foi passar um tempo na Europa e passou por Londres, onde assistiu à partida entre Chelsea e Porto, pela Liga dos Campeões. Este fato, somado aos rumores de uma possível transferência para a Inglaterra, fez com que muitos imaginassem que Pato poderia jogar no clube londrino.

No entanto, será que seria um bom negócio ir para os Blues? Ou seria melhor ficar no Corinthians? Para ajudar a dissipar as dúvidas, o Jovem Pan Online analisou quatro pontos-chave da questão.

Concorrência

A fase do Chelsea não é das melhores, e seus atacantes não fogem à regra. Caso fosse jogar como centroavante, Pato teria de brigar com Diego Costa e Remy pela titularidade, e nenhum deles é unanimidade atualmente. Se fosse atuar pelo lado esquerdo do ataque, como fez no São Paulo em 2015, o brasileiro já teria mais dificuldades: mesmo vivendo um momento ruim, Eden Hazard é o dono do setor ofensivo dos Blues pela canhota. O espanhol Pedro também é outro concorrente.

No Corinthians, caso conseguisse manter as atuações da última temporada, é difícil imaginar que Pato fosse banco de Vagner Love. Com a iminente saída de Jadson, abre-se também uma vaga no lado esquerdo do ataque, mas a troca do meia por um atacante como Pato mudaria a forma da equipe jogar. De qualquer maneira, para se estabilizar como titular, o Timão parece ser uma opção melhor.

Estilo de jogo

Depois de três temporadas no futebol brasileiro, Alexandre Pato parece readaptado ao estilo de jogo praticado por estas terras. Seu desempenho na última temporada foi o melhor da carreira: com 26 gols marcados, foi o artilheiro do São Paulo no ano. Com isso, jogar no Corinthians não seria assim tão difícil, tecnicamente falando.

Já no Chelsea a história pode ser outra. Os jogadores brasileiros historicamente têm dificuldades para se adaptar ao futebol inglês e seu estilo baseado na força física, no ritmo intenso e na velocidade de ação. Por isso, os atletas tupiniquins costumam se dar bem melhor na Espanha e na Itália, que têm uma cultura futebolística mais parecida com a nossa. É claro que há exceções: Gilberto Silva, anos atrás, e Philippe Coutinho, atualmente, são algumas. Mas, como o nome diz, são exceções, não a regra.

Clima

Talvez o maior empecilho para que o camisa 11 volte a vestir a camisa do Corinthians. Depois de desperdiçar, com uma cavadinha, o pênalti que custou a permanência da equipe na Copa do Brasil de 2013, contra o Grêmio, a relação de Pato com o alvinegro azedou ao ponto de ir jogar no rival São Paulo.

O “tempo” dado na relação não ajudou. Em setembro de 2014, o zagueiro Gil fez um comentário provocativo em foto do atacante: “Chupa Pato aqui é Corinthians mano”. Souza, à época volante do Tricolor, respondeu, e o corintiano acabou apagando a provocação. Mas foi uma amostra de como não será fácil reconstruir a relação entre Pato e seu ex-clube. Muitos torcedores são expressamente contra sua volta ao Parque São Jorge. O técnico Tite, por outro lado, já disse que seu ex-comandado seria bem-vindo caso retornasse.

Perspectivas para o futuro

O Chelsea tem um dos elencos mais caros do mundo, está recheado de craques e tem vaga garantida na fase eliminatória da Liga dos Campeões. No entanto, o péssimo começo de temporada deixou a equipe distante do bicampeonato inglês e fora do grupo dos favoritos do torneio continental. O futuro do time treinado por José Mourinho é uma incógnita.

Já o Corinthians tem um grupo estabelecido que deve manter sua base para 2016, a fim de entrar com tudo na briga pelo título da Libertadores. Estando no melhor time do Brasil em 2015, Pato teria estabilidade técnica e tática para trabalhar e mostrar seu melhor futebol, coisa que Tite consegue tirar de seus comandados. A escolha pelo Timão parece ser a mais segura, mas não proporciona disputar um certame badalado como a Champions.