EUA acreditam que ataques terroristas são mais prováveis fora de Sochi

  • Por Agencia EFE
  • 05/02/2014 02h22

Jogos de Sochi estão sobre ameaças de atentados

Jogos de Sochi estão sobre ameaças de atentados

Os Estados Unidos consideram que é mais provável que ocorra um ataque terrorista fora de Sochi, a cidade no sul da Rússia que será a sede dos Jogos Olímpicos de Inverno a partir da próxima sexta-feira, em áreas com menos segurança e, portanto, mais vulneráveis às “ameaças específicas” que existem contra a competição.

O diretor do Centro Nacional contra o Terrorismo, Matthew G. Olsen, explicou nesta terça-feira em uma Comissão de Inteligência do Congresso que as ameaças têm “diferentes graus de credibilidade” e que a organização Ismarat Kazkaz (Emirado do Cáucaso) representa o maior perigo.

A guerrilha islâmica do Cáucaso e outros grupos extremistas vêm ameaçando os Jogos há meses. As mensagens se intensificaram com a proximidade do evento, que será inaugurado oficialmente nesta sexta-feira e encerrado no dia 23 de fevereiro.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, manteve hoje uma reunião com o alto escalão de seu governo para analisar a segurança dos milhares de cidadãos que viajarão para Sochi, um assunto sobre o qual nem ele, nem outros membros importantes de sua Administração esconderam suas preocupações nas últimas semanas.

“Sua equipe lhe garantiu que todas as medidas necessárias estão sendo tomadas para garantir a segurança dos americanos em Sochi”, informou hoje a Casa Branca em comunicado, no qual também explicou que Obama ordenou que se trabalhe “de perto” com a Rússia para evitar qualquer tipo de ataque durante os Jogos.

Os EUA ofereceram sua colaboração para a Rússia em várias ocasiões, sobretudo depois que dois atentados terroristas em Volgogrado, também no sul do país, causaram a morte de 30 pessoas no final do ano passado.

Obama tratou hoje desse assunto com o vice-presidente, Joe Biden, o secretário de Estado, John Kerry, e o diretor da CIA, John Brennan, além de funcionários do alto escalão do FBI e do Pentágono.

O presidente americano disse recentemente em uma entrevista à “CNN” que considera que os Jogos de Sochi serão “seguros”, mas admitiu que se sente mais confiante quando os grandes eventos internacionais são nos Estados Unidos, pois assim ele tem o controle sobre o esquema de segurança.

Mais de 230 atletas, 270 treinadores, e uns 10 mil cidadãos americanos são esperados em Sochi por ocasião dos Jogos Olímpicos de Inverno.

Apesar das ameaças, ninguém cogitou um possível adiamento do evento esportivo, que é considerado como o mais caro da história com custo estimado de US$ 50 bilhões.