EUA alertam para possíveis bombas em pasta de dentes em voos para a Rússia

  • Por EFE
  • 05/02/2014 22h02
EUA alertam para perigo de terrorismo em voos para Sochi

O Departamento de Segurança Nacional (DHS) dos Estados Unidos enviou nesta quarta-feira um alerta às companhias aéreas que voam à Rússia, e especialmente a Sochi, onde acontecerão os Jogos Olímpicos de Inverno, que sejam especialmente cuidadosos com possíveis explosivos escondidos em tubos de patas de dente.

Segundo o canal “NBC”, os funcionários americanos limitam sua advertência a voos diretos de outros países à Rússia, não os que partem dos Estados Unidos e em nenhum caso os voos rumo ao interior deste país.

“Extremando a precaução, o DHS compartilha regularmente informação com parceiros nacionais e internacionais, incluídos aqueles relacionados com as Olimpíadas de Sochi”, afirmou esta instituição em seu comunicado.

Apesar do alerta, reconhece que não “têm constância de nenhuma ameaça específica por enquanto” e se baseia, segundo as fontes consultadas pela “NBC”, em informações “muito novas”.

As companhias aéreas com voos diretos à Rússia foram notificadas e depende delas e das autoridades dos países competentes mudar as normas de bagagem de mão.

A segurança está aumentando a poucos dias do início dos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, uma cidade perto da conflituosa região russa do Cáucaso Norte que se blindou para evitar atentados durante o evento esportivo.

No mês passado, as autoridades russas pediram a companhias aéreas que não permitam líquidos em bagagens em voos com destino a Sochi para extremar a precaução.

O Departamento de Estado dos EUA emitiu no mês passado um alerta de viagem na qual recomenda aos americanos que viajem para Sochi “cuidar de sua segurança pessoal o tempo todo e permanecer alerta e ser prudentes quando usem qualquer tipo de transporte público”.

Mais de 52 mil agentes policiais e soldados do Ministério do Interior russo, assim como 23 mil membros do Ministério para Situações de Emergência, se encarregarão da segurança dos Jogos, para o que se utilizará a um nível sem precedentes de vigilância eletrônica, com câmeras e satélites. EFE