EUA emitem alerta de viagem e enviam agentes para reforçar segurança em Sochi

  • Por Agencia EFE
  • 11/01/2014 00h45
neve090410

Os Estados Unidos emitiram nesta sexta-feira um alerta de viagem para os americanos que pretendem ir aos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi, na Rússia, em fevereiro, e o FBI também anunciou que enviará dezenas de agentes para ajudar às autoridades russas a reforçar a segurança durante o evento esportivo.

Faltando quatro semanas para o início dos Jogos de Sochi, a Rússia voltou seus olhos para a segurança do evento, sobretudo, depois que dois atentados suicidas aconteceram, com menos de 24 horas de diferença, faltando dois dias para o Ano Novo em Volgogorado.

Neste contexto, o Departamento de Estado dos EUA emitiu hoje um alerta recomendando os americanos que forem a Sochi para que “cuidem de sua segurança pessoal o tempo todo, permaneçam alertas e sejam prudentes quando forem usar qualquer tipo de transporte público”.

“Os Jogos são um alvo atrativo para os terroristas e, além disso, continuam ocorrendo atos de terrorismo na Rússia. Não há nenhuma ameaça específica contra os EUA, nem contra suas instituições e cidadãos, mas os que forem a Sochi devem permanecer atentos e precavidos”, diz o alerta de viagem.

Para garantir a segurança dos Jogos e colaborar com o governo russo, o FBI anunciou que enviará dezenas de agentes, tanto para Moscou como para Sochi, que realizará os Jogos entre os dias 7 e 21 de fevereiro.

“A segurança nos Jogos Olímpicos é uma tarefa enorme, e acho que um desafio maior em Sochi por sua proximidade com zonas onde existe agitação social e fontes de ameaça terrorista”, disse o diretor do FBI, James B. Comey.

Mesmo com as ameaças da guerrilha islâmica do Cáucaso de impedir os Jogos, ninguém cogitou um possível adiamento dos mesmos, que serão os mais caros da história com gastos previstos de US$ 50 bilhões.

O Departamento de Estado também lembrou hoje que os Jogos Olímpicos de Inverno são o primeiro grande evento internacional que acontece em Sochi. Por isso, a capacidade da infraestrutura médica da cidade nunca foi testada para atender um volume tão grande de visitantes.

Os EUA recomendaram a seus cidadãos que considerem a contratação de um seguro de saúde privado, lembrando também que o atendimento médico em muitas localidades russas “difere dos padrões ocidentais”.

O alerta de viagem também adverte que na Rússia está proibida “eixibir e manter relações sexuais não tradicionais” com os menores de idade.