Ex-lateral R. Carlos condena manifestações pré-Copa e defende governo

  • Por EFE
  • 10/06/2014 10h57
Ex-jogador Roberto Carlos agora é técnico de time turco

O ex-lateral esquerdo da seleção brasileira Roberto Carlos condenou os protestos que estão sendo realizados no país contra a Copa do Mundo, em entrevista veiculada nesta terça-feira na “Radio Nacional”, da Espanha

“O povo está aproveitando da Copa para protestar, mas esquecem ou não sabem que o governo brasileiro investiu muitíssimo dinheiro em Saúde e Educação. São muitos os que querem protestar, mas não sabem que o governo do Brasil está ajudando a melhorar esses dois aspectos tão importantes”, concluiu.

O atual técnico do Sivasspor afirmou que vê a seleção espanhola como favorita ao título, mas admitiu apenas a taça será capaz de satisfazer os brasileiros, que buscam o hexacampeonato mundial em casa.

“O nível de exigência é máximo. É preciso ganhar a Copa porque para o Brasil ser o segundo colocado seria o mesmo que ficar em último”, afirmou o ex-jogador.

Roberto Carlos ainda revelou que encontro gostaria ver na decisão do Mundial.

“Uma final entre Brasil e Argentina seria divertida ou também contra a poderosa Espanha, a campeã do mundo. Muita gente deseja que a final seja contra o Uruguai, mas não acho que seja uma seleção forte”, assegurou.

O ex-lateral avaliou positivamente a seleção brasileira, mas “cornetou” uma das escolhas do técnico Luiz Felipe Scolari, justamente na posição em que se consagrou.

“Esta é uma seleção diferente de quando eu jogava. Ela é jovem e tem ambições. Eu teria convocado o Filipe Luís. Tinha certeza que Scolari ia convocá-lo, mas também é verdade que Maxwell tem mais experiência. Se Filipe Luís continuar jogando assim estará com a equipe em 2018”, garantiu.