Ex-Palmeiras e Vasco, Leão elogia Prass e detona Eurico: “não faz bem ao futebol”

  • Por Jovem Pan
  • 07/11/2015 16h40
SÃO PAULO, SP, BRASIL, 24-02-2012: Futebol: O técnico Emerson Leão, do São Paulo, durante treino no CT da Barra Funda, em São Paulo. (Foto: Moisés Nascimento/Agif/Folhapress)Ex-goleiro de Palmeiras e Vasco

Um dos maiores goleiros da história do futebol brasileiro, Emerson Leão tem em seu currículo grandes momentos na meta do Palmeiras e do Vasco. Em entrevista exclusiva à rádio Jovem Pan, Leão analisou o momento das duas equipes, elogiou o arqueiro alviverde, Fernando Prass, e criticou a volta do presidente vascaíno, Eurico Miranda.

“O Prass é muito mais goleiro (que Martín Silva, goleiro do Vasco), independente de ser brasileiro, isso não importa. Através do campeonato todo, o Prass mostrou muito mais capacidade, inclusive o goleiro do Vasco entrou e saiu várias vezes por desconfiança”, comentou Leão.

Questionado sobre o comando de Eurico Miranda, que voltou a presidência do Vasco no início de 2015, o ex-goleiro não teve dúvidas ao criticar o cartola. Leão ainda analisou o momento do time carioca e destacou que dificilmente o cruzmaltino escapará do rebaixamento.

“Eu acho que não faz bem ao futebol. Já provou e continua sendo a mesma figura, não mudou e não melhorou nada em seu afastamento. Ele disse que se o Vasco cair vai morar na Sibéria. Então recomendo comprar bastante casaco porque lá é frio pra caramba”, comentou.

“Enquanto estiver respirando, ainda não foi (rebaixado). Mas está bem próximo. Já esteve pior, mas a derrota do último domingo, frente ao Fluminense, foi bem desagradável. Não é o Vasco que conheci e joguei”, completou o treinador.

Ídolo do Verdão onde jogou por 15 anos, Leão conhece bem o clube. Perguntado sobre a administração do presidente Paulo Nobre, que chegou a emprestar seu próprio dinheiro para auxiliar o Palmeiras, o ex-camisa 1 alviverde destacou que não concorda com a atitude do mandatário.

“Está errado e desculpe falar: o Palmeiras nunca precisou d dinheiro de ninguém para se sustentar. Hoje mais do que nunca com um estádio maravilhoso, torcedor comparecendo, bastante dinheiro de arrecadação. Acho que isso não deveria mais existir, mas também entendo que talvez tenha sido num momento de necessidade”, afirmou.