Ex-presidente de Honduras pode ser preso por escândalo de corrupção na Fifa

  • Por Agência EFE
  • 07/12/2015 18h31
Rafael Leonardo Callejas está na lista de acusados pelo FBI que inclui os brasileiros Del Nero e Ricardo Teixeira

O ministro de Segurança de Honduras, Julían Pacheco, garantiu que o ex-presidente do país e também ex-mandatário da federação local de futebol, Rafael Leonardo Callejas, será preso em breve, após acusação feita pela justiça dos Estados Unidos de envolvimento em escândalo de corrupção.

“Podem ter certeza que ele será capturado, porque entraria em desacato se não o fizesse. Nossa mão não tremerá”, afirmou o representante da pasta, questionado sobre a situação do líder do país centro-americano entre 1990 e 1994.

A procuradora-geral dos EUA, Loretta Lynch, anunciou na última quinta-feira novas acusações de corrupção contra Callejas, e contra outros 15 dirigentes, incluíndo Marco Polo del Nero e Ricardo Teixeira, os responsabilizando de “sequestrar” o esporte mundial.

Julían Pacheco admitiu que a justiça de Honduras ainda não emitiu ordem para a prisão do ex-presidente do país, que dirigiu a federação de futebol do país até 1º de agosto, quando foi substituído por Alfredo Hawit, também mandatário da Conmebol e vice da Fifa, que foi preso na semana passada.

O governo hondurenho ainda não confirmou a existência de um pedido de extradição de Callejas para os Estados Unidos. O Ministério Público local, por sua vez, já anunciou o congelamento das contas bancárias do ex-presidente, de Hawit e da esposa, María Asfura.