Ex-são-paulino usou 6 a 1 do Corinthians para confortar Osório após 7 a 0

  • Por Jovem Pan
  • 11/07/2016 17h33
MEX50. CIUDAD DE MÉXICO (MÉXICO), 29/03/2016.- El entrenador de México Juan Carlos Osorio, reacciona en una jugada ante Canadá hoy, martes 29 de marzo de 2016, en un partido del grupo A de la eliminatoria de la Concacaf rumbo al Mundial de Rusia 2018 realizado en el Estadio Azteca, en Ciudad de México. EFE/José MéndezOsório

Goleado por 7 a 0 pelo Chile nas quartas de final da Copa América Centenário, Juan Carlos Osório já comandava a seleção mexicana quando o São Paulo sofreu a maior derrota da história do clássico contra o Corinthians. O 6 a 1 aplicado pelo time alvinegro na antepenúltima rodada do Campeonato Brasileiro do ano passado, no entanto, cruzou o caminho do treinador colombiano quando ele menos imaginava.

Tudo aconteceu dias depois de Osório sofrer o maior baque da carreira. Com dez jogos e nenhuma derrota à frente do México, o treinador parecia destinado a levar a promissora seleção tricolor à grande decisão da Copa América Centenário, em junho, nos Estados Unidos. A acachapante eliminação para um aparentemente enfraquecido Chile, entretanto, arruinou a até então perfeita trajetória do colombiano no selecionado da América Central. 

Foi aí que o 6 a 1 do Corinthians apareceu na vida de Juan Carlos Osório. Técnico do São Paulo na histórica derrota de novembro de 2015, Milton Cruz pegou o telefone, ligou para o amigo e compartilhou a péssima experiência de meses antes para confortá-lo após o 7 a 0 do Chile. O resultado por pouco não custou o cargo do técnico, que, depois de ouvir as palavras do ex-auxiliar, pôde enfim refletir sobre as causas da derrota.

O fato foi revelado pelo próprio Milton Cruz. Em entrevista exclusiva a Flávio Prado que vai ao ar no próximo Plantão de Domingo, da Rádio Jovem Pan, o ex-membro da comissão técnica tricolor revelou que usou o 6 a 1 sofrido pelo São Paulo para consolar Juan Carlos Osório depois da eliminação mexicana na Copa América Centenário.

“Eu falei com o Osório depois da eliminação na Copa América... O que aconteceu com ele na seleção mexicana, contra o Chile, foi praticamente uma repetição do que aconteceu comigo naquele jogo contra o Corinthians, em Itaquera. Eu disse isso a ele. Conversamos sobre isto“, contou Milton Cruz, quando questionado se ainda remoía a histórica vitória alvinegra 

Aquele jogo foi em um domingo e, na quinta-feira anterior, nós tínhamos disputado uma partida complicada... Tivemos de correr atrás do resultado contra o Atlético-MG e vencemos por 4 a 2. Já o Corinthians entrou em campo com o time reserva, despreocupado, porque já havia sido campeão, argumentou.

Para Milton Cruz, os desfalques do São Paulo, que, à época, lutava por uma vaga à Libertadores, também contribuíram para a derrota em Itaquera. “Todo mundo fala que o Corinthians jogou com a equipe reserva… Mas o São Paulo também entrou em campo desfalcado de quatro grandes jogadores: Rogério Ceni, Ganso, Luís Fabiano e Pato. Queira ou não, aquilo dava um peso para os atletas que jogariam“, afirmou, ainda sem se esquecer dos detalhes daquele confronto.

O Corinthians foi para o intervalo vencendo por 3 a 0. Na volta dele, fez mais três gols e celebrou o hexa nacional em grande estilo. O São Paulo, por sua vez, teve de amargar a maior derrota da história dos MajestososNós estávamos bem no jogo, mas cometemos alguns erros de atenção na bola parada no primeiro tempo. No segundo, corrigimos isso, mas fizemos gol contra, pênalti… Quando fomos ver, já estava 5 a 0 para os caras, e o nosso time, com a cabeça baixa“, explicou Milton.

Corinthians e São Paulo voltam a se enfrentar em Itaquera no próximo domingo, às 16h (de Brasília), pelo Brasileirão. Será o primeiro Majestoso sem a presença de Milton Cruz depois de 22 anos. Demitido em março, ex-membro da comissão técnica tricolor começou a trabalhar no clube em 1994. Desde que ele foi desligado pelo presidente Leco, os donos das maiores torcidas do estado não se enfrentaram. Quem será que vai se dar melhor?