Ex-sparring de Belfort, Borrachinha elogia Anthony Johnson: “é um monstro”

  • Por Jovem Pan
  • 29/04/2015 15h59
Paulo Borrachinha espera defender o cinturão do Face to Face e adquirir experiência antes de chegar ao UFC

O mineiro de Belo Horizonte Paulo Henrique Borrachinha vive grande fase na carreira. No último sábado (25), ele venceu o ex-lutador Wagnão Gomes e conquistou o cinturão dos pesos-médios do Face to Face 11. Em entrevista à Rádio Jovem Pan, Borrachinha falou sobre seu estilo “striker” e a analisou as qualidades de Anthony Johnson, que disputará o cinturão da categoria peso-meio-pesado do UFC contra Daniel Cormier.

“Essa vitória (sobre Wagnão Gomes) foi muito importante para a minha carreira por ter sido contra um oponente muito bom e qualificado, vindo recentemente do UFC. Eu consegui impor muito bem o meu jogo e consegui um belo nocaute no final do primeiro round”, disse o lutador de 24 anos, que tem na carreira cinco vitórias por nocaute no 1º round e, por isso, se encaixa no estilo “striker”. “Minha origem é o jiu jitsu, mas estou me tornando um striker. Talvez pelo vigor físico, pela explosão, pela técnica. Não foi a intenção, mas, já que está sendo assim, para mim está ótimo”, brincou.

Apesar de jovem, Borrachinha já teve a experiência de treinar com grandes lutadores, como Anthony Johnson, que enfrentará Daniel Cormier no UFC 187, dia 23 de maio, pelo cinturão dos pesos-meio-pesados. Como a entrevista foi gravada antes do anúncio da punição de Jon Jones, adversário de Johnson que foi suspenso e substituído por Cormier, o brasileiro fez uma análise do que seria a luta entre os dois.

“O Anthony Johnson é um monstro. Ele é muito forte, muito explosivo, é até difícil treinar com ele sem se machucar. Acredito que será o maior desafio da carreira de Jon Jones. Sabemos que o (sueco Alexander) Gustafsson foi um ótimo desafiante para o Jones, e o Johnson atropelou o Gustafsson sem tomar conhecimento”, analisou. “É até difícil opinar sobre essa luta, mas eu estou fechado com o Anthony Johnson”.

Paulo Borrachinha também foi sparring de Vítor Belfort na época em que o brasileiro treinava para uma das lutas canceladas contra Chris Weidman (agora marcada para o UFC 187, valendo o título dos pesos-médios). “Passei uns 60 dias com o Vítor, a pedido dele, para treinar para a luta adiada de fevereiro. O que eu vi foi um Belfort muito focado, consciente e tranquilo, com aquele instinto que ele tem, agressivo. Acho que ele está totalmente apto para ganhar o cinturão, que será o mais importante de sua carreira”.