Falcão comenta ameaça de fim de time em Sorocaba e critica futebol brasileiro

  • Por Nilson César/Jovem Pan
  • 29/07/2014 19h28

O craque Falcão teme pelo fim do time em Sorocaba

Falcão treina no Brasil Kirin Futsal

Um dos grandes projetos que Falcão assumiu foi o de ser o principal nome de um time de futsal em Sorocaba (SP). E a equipe está indo muito bem, apesar de ter iniciado suas atividades recentemente. Na Liga Paulista de Futsal, o time é o líder isolado da competição e segue invicto com 50 pontos, obtidos em campanha de 16 vitórias e dois empates. Já na Liga Futsal, o campeonato nacional da modalidade, a equipe não começou muito bem e tem três empates e uma derrota na competição, que ainda está em seu início.

Apesar de tudo e desse início de temporada promissor, em um aspecto geral, o Brasil Kirin Futsal está com um impasse envolvendo seu ginásio em Sorocaba, já que o teto da arena multiuso que estava sendo construída acabou desabando e o laudo oficial sobre o problema ainda não saiu. Diante desse cenário, a empresa que mantém o time ameaça tirar a equipe da cidade do interior do estado de São Paulo.

Em entrevista à Rádio Jovem Pan, o astro Falcão comentou sobre esse problema e falou um pouco do futebol brasileiro e da sequência de sua carreira.

Em relação ao impasse, o melhor jogador de futsal do mundo se mostrou impaciente e frisou que não deseja de jeito algum que o time saía da cidade de Sorocaba.

“Nós somos os mais interessados em saber. A gente precisa de um prazo, a empresa que está bancando o projeto já está cogitando tirar o projeto de Sorocaba e é o que ninguém quer. Mas a gente precisa de uma resposta. Faz 60 dias que o laudo vai ficar pronto em 20 dias. Aí vai mais 20 dias e a gente não tem mais prazo algum”, disse. “Agora parece que o laudo sairá dia 6 e, dentro do laudo oficial, eles podem dar uma previsão de alguns meses e, aí, dentro dessa previsão, a empresa vai decidir se o projeto continua em Sorocaba ou não. A minha ideia é que continue, mas tem que ter um ginásio de acordo com a nossa equipe”, afirmou.

Ao falar sobre o nível da equipe montada, o camisa 12 foi só elogios: “nós somos líderes da Liga Paulista. A Liga Futsal começou agora, em quatro jogos temos três empates e uma derrota, e eu ainda não consegui jogar a liga nacional, devido a uma pequena lesão, mas já volto na próxima partida. Temos alguns desfalques, mas nossos focos são esses dois campeonatos. Um que a gente lidera invicto, e o campeonato nacional, que começou agora e precisamos dar uma recuperada. Com certeza vamos brigar pelas primeiras colocações”.

Ao dar sua opinião sobre a atual situação do futebol brasileiro, principalmente depois do vexame na Copa do Mundo, quando a Seleção Brasileira foi eliminada na semifinal ao perder para a Alemanha pelo placar de 7 a 1, Falcão não escondeu que muita coisa precisa ser melhorada.

“No futebol, a gente tem dúvida dos comandos, das escolhas. A gente, como torcedor, e ligado um pouco ao futebol, fica um pouco frustrado. Eu vejo o futebol brasileiro muito atrás da Europa, infelizmente. Se você vê um clássico europeu e depois vê um clássico brasileiro, você fica triste”, opinou. “Um Corinthians e Palmeiras tem dois ou três chutes a gol e, em um clássico europeu, sempre o ataque leva vantagem sobre a defesa, sempre com perigo de gol, sempre com chances para os dois lados. E aqui está defasado. Vejo os treinadores brasileiros muito atrás dos europeus. O futebol anda para frente o tempo todo, todo mundo sempre inovando, e o futebol brasileiro está sempre da mesma maneira. Foi visto isso na Copa do Mundo, quando o Brasil não convenceu em nenhuma partida. Sempre com dificuldades. A Seleção Brasileira precisa sim de um treinador estudioso, que venha de fora, com novas ideias. Jogadores nós temos, mas precisamos igualar na parte tática. Acredito que estamos um pouco atrás”, continuou.

Por fim, Falcão reafirmou que pretende mesmo morar em Sorocaba no final de sua carreira e já admite que está nos momentos finais de sua trajetória de grandes conquistas no futsal.

“É verdade. A minha opção de trazer esse projeto para Sorocaba foi justamente pensando no pós-carreira. É a cidade que eu escolhi para morar. Sou paulista da capital, mas a cidade que eu vou morar é Sorocaba”, falou. “Estou com 37 anos, tenho esse contrato de mais dois anos e meio com a equipe de Sorocaba. Acredito que sejam meus últimos dois anos e meio. Acho que estou fazendo hora extra já (risos). Mas ainda não sentindo o peso da idade, jogando em alto nível, isso é o que me motiva”, finalizou Falcão.