Favoritos, Soares e Peya perdem na estreia no Brasil Open

  • Por Agência Estado
  • 12/02/2015 00h33
Reprodução/Site Brasil Open Bruno Soares era a maior esperança de título brasileiro no Brasil Open

Maior esperança de título da torcida local no Brasil Open, Bruno Soares foi eliminado logo em sua estreia na chave de duplas. Ao lado do austríaco Alexander Peya, o brasileiro caiu diante do italiano Paolo Lorenzi e do argentino Diego Schwartzman, de virada, por 2 a 1, com parciais de 6/4, 4/6 e 10/8.

Soares e Peya, campeões em 2013, repetiram o desempenho do ano passado, quando também entraram na chave como favoritos, mas decepcionaram a torcida e perderam na estreia. Os dois dividem atualmente a 11ª colocação do ranking individual de duplas da ATP.

Favoritos e contando com total apoio da torcida no Ginásio do Ibirapuera, Soares e o austríaco começaram mal a partida ao levarem uma quebra de saque no início. Mas reagiram rápido e logo viraram o marcador, garantindo o set inicial.

Na segunda parcial, lideraram o placar durante a maior parte dos games. Desta vez, porém, não conseguiram sustentar a vantagem e viram os rivais empatarem o duelo. No equilibrado super tie-break, Lorenzi e Schwartzman foram ligeiramente melhores e conquistaram o triunfo.

Nas quartas de final, italiano e argentino vão enfrentar o espanhol Pablo Andujar e o austríaco Oliver Marach, que eliminaram nesta quarta os espanhóis Pablo Carreño Busta e Daniel Gimeno-Traver por 7/6 (7/4) e 6/4.

Soares não foi o único brasileiro eliminado nesta quarta. Antes dele, a dupla formada por Marcelo Demoliner e Rogério Dutra Silva caíram diante dos colombianos Juan Sebastian Cabal e Robert Farah por 7/6 (7/5), 4/6 e 10/6.

Já André Sá e João Souza, o Feijão, avançaram na chave de duplas ao vencerem os argentinos Maximo Gonzalez e Juan Monaco por 7/6 (7/4) e 7/6 (7/3). Nas quartas, eles vão enfrentar os checos Frantisek Cermak e Jiri Vesely.

As esperanças, contudo, recaem sobre Marcelo Melo. Melhor brasileiro do ranking de duplas, ele vai encarar, ao lado do austríaco Julian Knowle, os argentinos Carlos Berlocq e Leonardo Mayer.