Felipão elogia Ramires e justifica escolha por Panamá e Sérvia para amistosos

  • Por Jovem Pan
  • 02/06/2014 18h20

O técnico Luiz Felipe Scolari falou um pouco sobre os amistosos dessa semana em entrevista coletiva

Luiz Felipe Scolari

Após o treinamento desta segunda-feira (2), o técnico da Seleção Brasileira Luiz Felipe Scolari concedeu entrevista coletiva em Goiânia (GO) e esclareceu alguns pontos referentes ao time que se prepara para o amistoso contra o Panamá, nesta terça-feira (3), e, claro, para a Copa do Mundo, que começa na semana que vem.

Em relação a Thiago Silva, Fernandinho e Paulinho, que permaneceram na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), e não vão disputar o amistoso desta terça para realizaram aprimoramento físico, Felipão disse que tudo está dentro do previsto.

“Naturalmente que tudo aquilo foi planejado pelo departamento médico, físico. Seguimos à risca um cronograma que foi estabelecido”, destacou.

Luiz Felipe Scolari também comentou a opção por Ramires no treino, que acabou entrando no meio de campo no lugar de Paulinho, e elogiou bastante o jogador do Chelsea.

“Eu já disse que gosto do Ramires em outra posição, do lado de campo, que ele compõe muito bem. Temos que observar bem se o Ramires vai entregar aquilo que queremos em detrimento a A ou B. Eles disputam posições, mas são amigos. O Ramires disputa uma posição em dois ou três lugares no campo porque é muito versátil”, observou, frisando ainda que suas palavras não devem ser levadas na literalidade, mesmo com a reclamação após o treino de domingo, quando afirmou não ter gostado do que viu.

“Vocês não precisam levar a ferro e fogo as minhas palavras. Chiei na hora e depois fui examinar. Não podemos perder aquilo que a gente tinha como identidade. Era aquele estilo, aquele jeito, aquela pegada. O básico a gente não pode esquecer”, falou. “ (Tivemos) Uma marcação muito frouxa. Por isso tudo a gente não pode esquecer que estamos a uma semana da Copa. Não somente eu que tem que lembrar, mas eles. E essa é a minha função”, prosseguiu.

O comandante da Seleção Brasileira também justificou as escolhas dos adversários para os amistosos desta semana.

“Escolhemos o Panamá por causa da semelhança com o México. Mesma coisa da Sérvia, que é parecida com a Croácia”, explicou. “Primeiro lugar, quando nós falamos do Panamá, todos vocês lembram que o Panamá foi eliminado nos dez minutos finais pelos Estados Unidos. Era uma equipe que tinha 98% de chances de se classificar. No jogo do dia 6, quando vamos jogar com uma seleção também forte como a Sérvia, vamos precisar mostrar uma regularidade maior do que de amanhã (terça-feira)”, finalizou.