Felipão rebate declarações de Del Nero: “era melhor não emitir opinião”

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2014 13h39

Felipão durante última coletiva antes da estreia do Brasil

Felipão durante última coletiva

A polêmica declaração de Luiz Felipe Scolari logo após a derrota para o Corinthians por 1 a 0, no último dia 23 de novembro, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro, dando a entender que estaria havendo um beneficiamento para que paulistas e mineiros participassem da próxima Libertadores da América. As declarações não pegaram bem dentro da CBF, e em entrevista à “Rádio Globo”, Marco Polo Del Nero, presidente da FPF (Federação Paulista de Futebol), disse que o treinador estava fazendo um “chororô”.

Nesta quarta-feira, Felipão divulgou uma nota oficial por meio de sua assessoria de imprensa, onde afirma não ter mencionado a entidade em suas reclamações. O ex-treinador da Seleção Brasileira ainda alfinetou o dirigente, que assumirá o comando do futebol brasileiro em 2015.

“É só prestar atenção no que eu disse. Pois se não ouviu era melhor não emitir opinião”, escreveu.

Scolari deve ser intimado a se explicar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). O Grêmio já não tem chances de se classificar para a competição continental. A derrota para o Bahia na penúltima rodada do torneio tirou qualquer chance do “Imortal” e classificou exatamente o Timão.

Confira a nota oficial, na íntegra:

“Eu disse em entrevista coletiva e está gravado, que não interessa a quem administra o futebol como empresa, ter duas equipes do sul e duas de Minas classificadas para a Libertadores. Em nenhum momento citei a entidade CBF. Que eu saiba, a Confederação Brasileira não é uma empresa e sim uma entidade que tem como obrigação ajudar o futebol brasileiro e que não tem fins lucrativos. Eu afirmei que não há interesse para a empresa porque visa lucros e o grande mercado financeiro está em São Paulo e Rio de Janeiro. É só prestar atenção no que eu disse. Pois se não ouviu era melhor não emitir opinião. Quanto ao técnicos brasileiros se reciclarem, há sempre esta disposição dos treinadores. Mas seria bom que todos os setores do futebol brasileiro pudesse se reciclar e buscar melhorias de fato. E não só no discurso”.