Felipe Massa deixa a Fórmula 1 após 15 anos; relembre momentos importantes

  • Por Jovem Pan
  • 01/09/2016 10h58 - Atualizado em 06/11/2017 11h38

Brasileiro foi confirmado como piloto da escuderia na próxima temporada

Massa vibra com volta ao pódio: "Foi uma corrida fantástica para mim"

Após 15 anos dedicados à Fórmula 1, o piloto brasileiro Felipe Massa anunciou que se aposentará da principal categoria do automobilismo no fim desta temporada. Depois de passar por categorias menores, como a Fórmula Renault, 3 e 3000, Massa iniciou sua caminhada na Sauber, em 2002.  

No fim de 2005 a saída de Rubens Barrichello da Ferrari colocou Felipe Massa em uma das mais tradicionais equipes da F1, onde viveu seus melhores anos na categoria. Depois de oito anos na escuderia italiana o brasileiro se transferiu para a Williams em 2014, onde irá encerrar sua participação nas pistas. Relembre alguns dos principais momentos da carreira de Felipe Massa com a narração da Jovem Pan:

Sua primeira prova com a Sauber foi no GP da Austrália de 2002, quando largou em nono. Sua participação na corrida, porém, durou bem pouco: uma batida logo na primeira curva entre Ralf Schumacher e Rubinho envolveu Massa e mais sete carros, deixando-os fora.

Seu melhor resultado naquele ano foi um quinto lugar no GP da Espanha, e terminou a temporada em 13º lugar. No ano seguinte acabou em 12º e em 2004, seu último ano na Sauber, foi o em 13º novamente.

A estreia pela Ferrari aconteceu em 2006, no GP do Bahrein. Massa largou em segundo, atrás do seu companheiro Michael Schumacher, mas acabou terminando a prova em nono.

 

O primeiro pódio veio somente na quinta prova da temporada, no GP da Europa, quando largou em terceiro e conseguiu terminar a prova na mesma posição.

 

No restante de 2006, Massa subiu ao pódio em mais cinco oportunidades e terminou o ano em 3º na classificação. Foi no GP da Turquia, em agosto daquele ano, que o brasileiro desbancou Schumacher e Alonso para conquistar o primeiro lugar da sua carreira.

Ainda em 2006 Massa ainda teria o gosto de vencer novamente, desta vez em casa. Foi a primeira vez desde a vitória de Senna em 1993 que um brasileiro conseguiu o topo em Interlagos.

No ano de 2007 Massa viu surgir aquele que seria seu grande rival na temporada seguinte: o inglês Lewis Hamilton, então na McLaren. Em duas das três provas que venceu naquele ano, o brasileiro contou com o promissor piloto em sua cola. No GP do Bahrein, Massa conseguiu vencer a prova com apenas 2 segundos de diferença para o hoje tricampeão mundial.

A disputa entre os dois cresceu mesmo na temporada de 2008, quando disputaram ponto a ponto o campeonato. Ambos empataram em número de pódios, 10 para cada um, mas com vantagem de Felipe no número de vitórias, cinco contra quatro. A última veio no GP do Brasil, porém o quinto lugar de Hamilton, conquistado na última volta, tirou o título mundial de Massa por um ponto de diferença.

 

A temporada de 2009, que poderia ser de mais briga pelo campeonato, acabou sendo a mais difícil em sua carreira. No treino classificatório do GP da Hungria Massa foi atingido por uma mola que se soltou do carro e, desmaiado, colidiu com o muro de pneus. O piloto passou por uma cirurgia no crânio e ficou afastado o restante da temporada.

Em seu retorno, no GP do Bahrein de 2010, Massa conquistou seu melhor resultado no ano: um segundo lugar, repetido na prova da Alemanha.

Os quatro últimos anos de Massa na Ferrari foram marcados por poucos pódios e pela hegemonia de Sebastian Vettel pela Red Bull. O último pódio do brasileiro na equipe italiana foi no GP da Espanha de 2013, quando terminou a prova em terceiro lugar.

Felipe deixou Ferrari em 2014 para correr pela Williams, junto com o finlandês Valtteri Bottas, e terminou as temporadas entre as 6ª e 8ª colocação, tal como nos seus últimos anos de Ferrari. Foram apenas cinco pódios nas 51 corridas que disputou pela equipe inglesa, sendo o último deles no GP da Itália do ano passado, quando terminou em terceiro.

Em 10º lugar na classificação geral, ainda sem vitórias, Massa tem mais oito corridas em 2016 para sentir o gostinho da vitória – ou pelo menos do pódio – antes de se afastar em definitivo das pistas.