Felipe Massa e Felipe Nasr lamentam corrida “frustrante” em Interlagos

  • Por Agência Estado
  • 15/11/2015 17h54
Felipe Massa (foto) ficou apenas na oitava posição; o xará Nasr ficou em décimo quarto

Os pilotos brasileiros tiveram poucos motivos para comemorar ao fim do GP do Brasil de Fórmula 1, disputado neste domingo, no Autódromo de Interlagos. Felipe Massa foi apenas o 8º colocado em uma prova na qual costuma se destacar. E Felipe Nasr, em sua estreia no circuito paulistano pela F1, foi o 14º, sem alcançar seu objetivo de ficar entre os dez primeiros colocados. 

“Para falar a verdade, durante todo o fim de semana foi difícil guiar o carro. Talvez nosso lugar na largada não tenha nos favorecido para passar alguém”, disse o piloto da Williams, que terminou a prova na mesma posição em que começou. 

“Até decidimos fazer uma parada a mais para ter pneus novos e mais chances de brigar com aqueles que estavam à frente”, afirmou o piloto, ao revelar parte da estratégia da Williams. “Foi uma corrida frustrante”, resumiu Massa. “E num lugar em que sempre andei muito bem, mas desta vez sofri muito [com a falta de aderência na pista]”. 

Sem as mesmas dificuldades do brasileiro, Valtteri Bottas terminou a corrida em 5º lugar. Com a pontuação do finlandês e do brasileiro, a Williams pôde assegurar a terceira colocação no Mundial de Construtores, o que garante premiação maior para a equipe para a próxima temporada. “O lado bom da corrida é que ficamos em terceiro no campeonato”, disse Massa.

Ainda sem a mesma experiência de Massa, Felipe Nasr se mostrou frustrado com a falta de rendimento de sua Sauber neste domingo, após exibir boa performance no treino de sábado. “A minha largada foi muito boa. Ganhei muitas posições. E a coisa parecia favorável. Mas assim que fiz minha primeira parada… Acho que deveríamos ter parado uma volta antes, para não pegar o trânsito da McLaren. Aquilo me custou muito. Era um segundo mais lento.”

Mesmo fora do ritmo dos rivais, Nasr ainda empolgou a torcida ao fazer boa ultrapassagem sobre o venezuelano Pastor Maldonado. A manobra, contudo, acabou trazendo mais problemas para o brasileiro. “Até arrisquei fazer a ultrapassagem, mas aquilo dechapou [desgastou] meu pneu dianteiro. Eu simplesmente não tinha mais ritmo. Nosso carro perdeu muito rendimento hoje”, lamentou.

Apesar disso, Nasr teve motivo para celebrar. Em sua primeira temporada na F1, terminou a corrida três posições à frente do sueco Marcus Ericsson, seu companheiro de equipe. O brasileiro superou Ericsson, que disputa sua segunda temporada, com quase uma volta de vantagem. 

“Da minha parte, eu fiz de tudo possível. Do carro não tinha mais o que tirar, não tinha mais recurso. Infelizmente não deu, hoje foi aquele dia em que você faz de tudo, mas não deu”, comentou o conformado piloto da Sauber.