Fernando Prass fala em “ano difícil” e pede que Palmeiras tire lições de 2014

  • Por Jovem Pan
  • 12/12/2014 11h58
O goleiro Fernando Prass da SE Palmeiras durante treinamento na Academia de Futebol, no bairro da Barra Funda. São Paulo/SP, Brasil - 06/10/2014. Foto: Cesar Greco / Fotoarena Palmeiras/Divulgação Fernando Prass retornará ao Palmeiras diante do Botafogo

O ano de 2014 foi bastante intenso para Fernando Prass. Para o bem e para o mal. Depois de um bom começo de temporada, quando inclusive chegou a ser cotado para a Seleção Brasileira, o goleiro sofreu uma fratura no cotovelo direito na terceira rodada do Campeonato Brasileiro, contra o Flamengo, e precisou ficar afastado dos gramados por cinco meses.

Na reta final do Brasileirão, entretanto, o arqueiro foi fundamental para que o Palmeiras conseguisse fugir do rebaixamento. O camisa 25 retornou ao Verdão na 27ª rodada, em duelo contra o Botafogo, no mesmo Maracanã no qual havia sofrido a grave contusão, e foi o responsável por excelentes defesas, exercendo assim papel crucial para que o alviverde vencesse a partida por 1 a 0.

“Foi um ano bastante difícil. Tive problemas de lesão, fiz duas cirurgias, enfrentei questões particulares e a situação do time incomodava. Mas, como tenho dito, prefiro ver o lado positivo das coisas. No fim das contas, tudo acabou de uma maneira menos traumática”, declarou.

Prass aprovou o ano em termos de rendimento. “Dentro de campo, individualmente, foi bom. Fui eleito o melhor goleiro do Paulistão e, apesar do tempo fora, quando voltei estava me sentindo bem e confiante. Com mais idade, você perde algumas coisas, mas ganha outras e minha experiência no futebol me ajudou muito neste momento”, analisou.

O goleiro palmeirense tem contrato com o clube até o final do ano que vem e ele pede que os jogadores aprendam com a difícil temporada em 2014.

“Muita gente fala que é um ano para se esquecer, mas eu penso justamente o contrário: é um ano que deve ser lembrado para que não sejam cometidos os mesmos erros e para que as próximas temporadas sejam melhores. A gente tem que olhar para os dois lados: claro que foi um ano péssimo, em termos de resultados, mas nos deu uma chance de consertar tudo para o ano que vem”, finalizou.