Fifa investiu US$ 1 bi em associações graças ao resultado do Mundial de 2014

  • Por Agência EFE
  • 20/03/2015 15h11
A Fifa

A Fifa investiu mais de US$ 1 bilhão em diversos projetos de suas 209 associações graças aos resultados da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, segundo o relatório de finanças apresentado nesta sexta-feira em reunião do Comitê Executivo, um resumo do ciclo orçamentário da entidade de 2011 ao ano passado.

“Graças ao êxito do Mundial, a Fifa, como nunca antes, pôde destinar fundos ao desenvolvimento do futebol no mundo, investimento mais de US$ 1 bilhão em diversos projetos de suas 209 associações, assim como das seis confederações”, disse a Fifa, destacando o Programa de Assistência Financeira (FAP) e os projetos “Goal”.

Um total de US$ 214 milhões foi distribuído através do FAP, que permite a cada associação financiar diversos programas de desenvolvimento e atividades futebolísticas. Outros US$ 123 milhões tiveram como destino 200 projetos “Goal” no mundo todo, especialmente em infraestruturas para o futebol.

“Por causa do resultado econômico positivo da Copa do Mundo, a Fifa pôde beneficiar cada associação com um pagamento extraordinário do FAP de US$ 1 milhão, além de US$ 7 milhões para cada federação, alcançando um total de US$ 261 milhões que serão investidos no desenvolvimento do futebol no âmbito nacional”, explicou a entidade em comunicado.

O dinheiro pago para as seleções participantes e os clubes que cedem jogadores para o Mundial chegou a US$ 476 milhões, com indenizações de US$ 158 milhões às equipes, a maioria delas europeias, por causa de lesões sofridas em partidas internacionais.

Apesar de a Copa do Mundo ter gerado mais receita do que o esperado, as despesas também cresceram. A Fifa revelou que gastou US$ 2,2 bilhões no evento: US$ 453 milhões apenas para cobrir o orçamento íntegro do Comitê Organizador Local e US$ 370 milhões da produção televisiva.

O relatório econômico se refere também aos novos programas criados para auxiliar as associações da Fifa, como o denominado “Performance”, que põe à disposição destas ferramentas e conhecimentos necessários para conseguir uma melhor administração e conseguir autonomia. E o “Challenger” para assistir de forma personalizada as associações com menos recursos.

Além disso, cita também o programa “Win-Win”, para impulsionar a geração de receitas, e o chamado “Connect”, que pretende criar uma plataforma de registro em todas as partes interessadas no futebol, incluídos os jogadores.