Fifa proibirá compra de jogadores por empresas e fundos de investimento

  • Por EFE
  • 26/09/2014 10h51

O presidente da FifaJoseph Blatter

A Fifa proibirá que jogadores sejam comprados por fundos de investimento e empresas, uma prática recorrente na Europa e América do Sul, anunciou nesta sexta-feira o presidente da entidade, Joseph Blatter.

Em entrevista coletiva realizada após a reunião do Comitê Executivo em Zurique, Blatter antecipou a “firme decisão” da entidade e disse que a medida, tomada após estudo realizado por um grupo de trabalho, não será aplicada de maneira imediata, “mas será resultado de um processo de transição”.

Com a proibição de que empresas e fundos de investimento tenham participação nos direitos econômicos dos jogadores, a Fifa responde à uma demanda do presidente da Uefa, Michel Platini, que em março, coincidindo com o Congresso Ordinário da entidade em Astana, solicitou que Blatter “enfrentasse esse problema de uma vez por todas”.

“Os jogadores não pertencem a seus clubes. Cada vez mais são propriedade de companhias opacas controladas por agentes desconhecidos ou fundos de investimento. Os jogadores não controlam suas carreiras e atuam a cada ano para gerar renda a indivíduos anônimos que só querem conduzir o dinheiro do futebol”, criticou o presidente da Uefa na época.