Figo propõe aumento no repasse de dinheiro para federações de países pobres

  • Por Agência EFE
  • 13/04/2015 14h12
Ex-candidato à presidência da FIFA

Candidato à presidência da Fifa, o ex-jogador português Luís Figo, propôs nesta segunda-feira um novo sistema de divisão das receitas provenientes da organização a Copa do Mundo, sobretudo com aumento de verbas encaminhadas para as federações mais pobres.

“Proponho que US$ 300 milhões (R$ 930,1 milhões) sejam repartidos entre as associações-membro que mais necessitem do dinheiro, para que seja destinado para obras de projetos de infraestrutura futebolística”, afirmou o ídolo luso, em entrevista à Agência Efe.

Figo ainda proposta que 50% das receitas das Fifa, cerca de US$ 2,5 bilhões (R$ 7.75 bilhões), seja distribuído entre as filiadas da entidade, como parte de um programa de solidariedade, com duração de quatro anos.

O opositor do atual presidente, Joseph Blatter, estima que cada federação receberia cerca de US$ 2 milhões (R$ 6,2 milhões), contra os US$ 375 mil atuais (R$ 1,16 milhão).

Luís Figo vijará para as Bahamas nos próximos dias, para participar do Congresso da Concacaf, confederação que engloba os países da América Central e do Norte.