Fina defende presença de menina de 10 anos no Mundial de Esportes Aquáticos

  • Por Agencia EFE
  • 07/08/2015 17h37

Kazan (Rússia), 7 ago (EFE).- A Federação Internacional de Natação (Fina) defendeu nesta sexta-feira a participação da bahrenita Alzain Tareq, de apenas 10 anos, na prova dos 50 metros borboleta do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos.

“Participar de um Mundial é uma oportunidade para todos os atletas, e é preciso promovermos mais a natação, porque devemos lembrar que a cada ano morrem 377 mil pessoas afogadas em todo o mundo”, disse o presidente da entidade, o uruguaio Julio Maglione, em entrevista coletiva.

A asiática cravou o tempo de 41s12 em uma das baterias da primeira elimintória da competição, ficando na última colocação da disputa. Apesar disso, passou mais de meia hora dando entrevista, sempre acompanhada por uma assessora de imprensa da Fina.

O diretor-geral da entidade, Cornell Marculescu, descartou, no entanto, que a participação de Alzain Tareq tenha qualquer motivação midiática, estando justificada pelos méritos esportivos.

“Aqui há 189 países disputando a competição e o Bahrein quis estar presente. Na natação não há regra que impeça isso, como aconteceu nos saltos, em que a idade mínima é de 14 anos”, explicou o dirigente. EFE