Flamengo arranca vitória suada em cima do Emelec e segue vivo na Libertadores

  • Por Agência EFE
  • 03/04/2014 00h04

O atacante Alecsandro foi o autor de um dos gols do Flamengo na vitória sobre o Emelec

Alecsandro

O Flamengo superou a dificuldade de jogar em um “caldeirão”, venceu nesta quarta-feira o Emelec por 2 a 1, e agora ficou a uma vitória de se classificar para as oitavas de final da Taça Libertadores, após viver momentos dramáticos na competição.

O Rubro-Negro entrou em campo ameaçado pela possibilidade de perder e cair antecipadamente. Alecsandro marcou logo no início, de pênalti. Da mesma forma, Denis Stracqualursi igualou na etapa final. Já nos acréscimos, Paulinho balançou as redes e decretou a vitória do Fla.

Com o resultado, a equipe carioca entrará em campo na próxima quarta-feira com um resultado em mente: a vitória sobre o León. Se isso acontecer e o Bolívar tropeçar diante do Emelec, em casa, os comandados de Jayme de Almeida, de quebra, terminarão com a liderança da chave.

Para a “final” de hoje no Equador, o técnico Jayme de Almeida teve uma série de problemas, com as lesões de Léo Moura, André Santos, Cáceres, Elano e Hernane. Com isso, o zagueiro Welinton foi improvisado na lateral direita, e João Paulo, Amaral, Paulinho e Alecsandro ganharam as demais vagas.

Mesmo com os problemas, o Rubro-Negro não se acovardou. Logo aos 7 minutos, em chegada rápida de Éverton pela esquerda, o cruzamento iria na cabeça de Alecsandro, mas foi cortado com a mão pelo zagueiro Nasuti. O árbitro chileno Julio Bascuñan não viu, mas marcou o pênalti após ser avisado por seus auxiliares.

O próprio camisa 19 chamou a responsabilidade e foi para a cobrança, mostrando frieza para bater no cantinho direito de Dreer, abrindo o placar da partida. Por alguns instantes, a torcida do Emelec se calou por causa do gol, dando alívio aos ouvidos flamenguistas.

Com o gol, time da casa não conseguiu se impor, como normalmente faz. Enquanto isso, os visitantes mostravam mais atitude. Aos 28, no entanto, o rubro-negro tomou um susto, quando Mena chutou de longe, obrigando a Felipe fazer boa defesa e jogar a bola para escanteio.

Insatisfeito, o técnico Gustavo Quinteros, que acompanhava a partida de um camarote, por estar suspenso, ainda no primeiro tempo fez a primeira alteração na sua equipe, colocando o atacante Caicedo, no lugar do meia Corozo.

Com mais homens no ataque, o Emelec passou a ficar mais tempo no setor ofensivo, mas tinha dificuldades em conseguir criar oportunidades claras de gol. Enquanto isso, o Flamengo levava perigo nos contra-ataques.

Para o segundo tempo, os anfitriões voltou com o meia Bolaños no lugar do experiente Mondaini. E o time assustou antes que o cronômetro marcasse um minuto, quando Stracqualursi foi acionado em cruzamento da esquerda, mas cabeceou para fora.

Aos 5, Paulinho teve ótima oportunidade para ampliar em contra-ataque. Após receber na esquerda, o meia arrancou, mas preferiu tentar encobrir Dreer. O chute saiu torto e fraco, parando mas mãos do goleiro.

Para não deixar cair o ritmo da marcação do meio de sua equipe, Jayme de Almeida aos 13 minutos colocou o jovem volante Recife, de 19 anos, em campo, tirando Muralha.

Só que o garoto e o contestado Welinton se propuseram a entrar no time de “vilões” do Flamengo na Libertadores. O primeiro ao perder bola na entrada da área, e o segundo ao cometer pênalti em Caicedo, aos 19 minutos do segundo tempo. Stracqualursi soltou a bomba ba cobrança e igualou o marcador.

Encurralado no setor defensivo, o time carioca perdeu Welinton, contundido, aos 33 minutos do segundo tempo. O técnico da equipe preferiu não ousar, e colocou Chicão em seu lugar. Em seguida, Jayme de Almeida lançou Negueba no lugar de Éverton.

O atacante levou perigo aos 38, quando os anfitriões vacilaram na saída de bola, e tentou um chute de fora da área, que acabou saindo por cima do gol defendido por Dreer.

O drama rubro-negro teve fim aos 49 minutos do segundo tempo, quando enfim a equipe acertou um contra-ataque. Negueba acertou lançamento na medida para Paulinho, que desta vez não vacilou, dominou livre e bateu cruzado para marcar.