Fora há 3 meses, Moisés revela luta diária e projeta volta nas quartas da Libertadores

  • Por Jovem Pan
  • 23/05/2017 12h10

Lesionado desde fevereiroMoisés deve ser titular contra Alianza Lima ou Corinthians

Pilar do Palmeiras campeão brasileiro, Moisés conta os dias para voltar a jogar. Fora dos gramados desde fevereiro, mês no qual rompeu dois ligamentos do joelho esquerdo, o meia de 29 anos intensifica a recuperação para retornar o mais rápido possível. O departamento médico calcula mais três meses de tratamento, o que faz Moisés abusar do otimismo para se motivar. 

Faço metas curtas para que eu as alcance e me motive. Hoje, o meu pensamento é de que faltam apenas três jogos da Libertadores para eu voltar... Contra o Tucumán e os dois das oitavas de final, caso o Palmeiras passe de fase. Aí, volto nas quartas, afirmou o jogador, em entrevista exclusiva a Flavio Prado que vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan. 

Se você cair na bobeira de pensar na rotina e no tempo que ainda falta para voltar a jogar, começa a não dar a devida atenção à fisioterapia e aos trabalhos na academia. Por isso, procuro pensar só pelo lado pensativo. É uma forma de driblar essa dificuldade“, acrescentou.

As quartas de final da Libertadores estão agendadas para meados de setembro, o que torna factível o desejo de Moisés. Enquanto isto, ele foca apenas em cumprir à risca tudo o que o departamento médico palmeirense lhe determina. A rotina tem sido dura. 

“Essa é a parte mais difícil. Eu fico no Palmeiras o tempo todo. Ainda bem que o clube tem o Centro de Excelência, uma estrutura fantástica. Chego às 8h30 e vou embora às 17h, com uma pausa de 1h. É muita academia e fisioterapia. É cansativo, uma luta diária, mas necessária para que eu volte bem”. 

Os primeiros dias pós-lesão, de acordo com o jogador, foram os mais difíceis. Apesar de se considerar forte mentalmente, Moisés admite ter ficadabalado com a lesão. As circunstâncias, afinal, foram cruéis com o palmeirense  que, no ano passado, machucara-se em lance com o mesmo jogador que o lesionou em 2017: o volante Zé Antonio, do Linense. 

“Minha primeira semana foi de muito pensamento. ‘Por quê? Logo agora? De novo? O mesmo jogador, o mesmo mês…’. Algumas perguntas que não têm resposta. Mas, depois desta primeira semana, passei a focar apenas na recuperação. E ela está boa, com uma perspectiva excelente..A previsão é de que fique mais três meses fora. Talvez um pouco mais, talvez um pouco menos. Mas não vai fugir muito disto“. 

O palmeirense agradece.