Futebol e melodia: do pagode gospel ao rock’n roll, as músicas favoritas dos boleiros

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2015 11h34
Os jogadores de futebol não vivem sem seus fones de ouvido e estão sempre ouvindo suas músicas

A música faz parte do dia a dia de todos nós. Muitas pessoas utilizam canções para relaxar, se distrair, se entreter. É o caso dos jogadores de futebol. Sempre com um fone de ouvido ou uma caixa de som, grande parte dos boleiros são “movidos à base de canções”.  Do pagode ao rock’n roll, a Rádio Jovem Pan destaca os ritmos favoritos dos jogadores no quinto episódio da série “Futebol e Melodia”, produzida por André Ranieri.

Neymar é fã declarado de samba, pagode e sertanejo, e inclusiva cultiva amizade com muitos cantores. O camisa 10 da Seleção inclusive já participou de alguns clipes como o do funkeiro MC Guime, na música “País do futebol”.

“Um dia eu estava em uma lanchonete, tive a oportunidade de encontra-lo (Neymar). Ele falou que gostava do meu trabalho, ouvia meu som. Tivemos um lance de amizade e naquela época falei em fazer um som para homenagear ele, não imaginava que faria parte do clipe, mas acreditava que ele iria escutar o som e gostar. Cheguei com a música pra ele em um show surpresa que fiz. Ficou feliz, lisonjeado e dias depois rolou de participar do clipe”, destacou Guime.

Apesar de não ser maioria, há no futebol quem goste do rock’n roll. É o caso do goleiro Rogério Ceni. Por influência do capitão, o time do Morumbi passou a entrar em campo com a música Hells Bells, do ACDC.

Conhecida em grande parte do mundo, a música brasileira acumula fãs no futebol mundial. O uruguaio Cavani, do PSG, por exemplo, é fã da banda Raça Negra

“Fizemos muitos shows por lá (no Uruguai). O publico lá canta. Não é surpresa ele ser fã já fazemos muitos shows na América latina”, destacou o vocalista do grupo, Luís Carlos.

Cavani também é grande fã da banda de axé, Araketu. Vocalista da banda, Tatau destacou que o atacante do PSG não é o único fã do Araketu: “antes dele, já tinha conhecido Recoba. Fiz um show em Roma e ele foi assistir o show com Cafu, com Dida. E o Recoba me falou que acompanhava toda nossa carreira”, afirmou.

Outras estrelas do mundo da bola também já divulgaram seus gostos musicais. O meia Marco Reus, do Borussia Dortmund, por exemplo, é grande fã do americano Justin Bieber. Cristiano Ronaldo é admirador de cantores como Phil Collins e Elton John.

Aqui no Brasil, outro gênero que agrada muito aos boleiros é a música gospel. Nos anos 90, alguns jogadores chegaram até a se arriscar nos microfones. Então jogador do Corinthians, Marcelinho carioca, ao lado do volante Amaral, criou o grupo Divina Inspiração, uma mistura de pagode e gospel.

“O Marcelinho uma vez falou ‘vamos lançar um grupo de pagode’. Eu então falei: ‘pagode? Mas tem tantos caras fazendo sucesso, não vamos ter espaço’, e então ele me disse que era pagode gospel. Ele convocou o Netinho, o Lino, ex-Negritude JR. Gravamos o CD e vendemos mais de 200 mil cópias”, relembra Amaral.