Advogado do goleiro Bruno critica juízes: ‘São medrosos e tratam ele como chacota’

  • Por Allan Brito/ Jovem Pan
  • 03/10/2018 11h49 - Atualizado em 03/10/2018 11h59
ReproduçãoBruno deve voltar a treinar no Boa Esporte em novembro

O goleiro Bruno, condenado pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samudio, está perto de sair da prisão e cumprir pena em regime semiaberto domiciliar. Mas de acordo com o advogado dele, Fábio Gama Leite, isso já deveria ter acontecido antes. Ele acredita que os juízes de Varginha, onde Bruno está preso, tratam o ex-jogador de Corinthians e Flamengo como “chacota”.

“Desde o primeiro dia da prisão do Bruno, ele vem sofrendo com a morosidade da Justiça. Quando se fala do Bruno, dão risada e tratam ele como motivo de chacota. Os funcionários zombam dele. Os juízes, não todos, são medrosos. Para não dizer mais coisas ruins. Os juízes aqui são fracos. Se fossem fortes, o Bruno não estaria preso”, afirmou Fábio, em entrevista exclusiva à Jovem Pan.

Após ser mandante do assassinato de Eliza Samúdio, Bruno foi condenado a ficar preso por 20 anos e 9 meses de prisão. Mas o bom comportamento na prisão tem feito com que ele consiga redução de pena. Em janeiro, foi determinado que ele poderá sair para o regime semiaberto domiciliar, em que é liberado para trabalhar durante todo dia e dormir em casa. Fábio Gama entende que ele já deveria ter conseguido este benefício em agosto.

“Ele vem exercendo diversos trabalhos. Já trabalhou na cozinha do presídio e no Corpo de Bombeiros, além de fazer cursos e estudos. A cada dia de trabalho, são remidos 3 dias da pena. E cada 12 horas de estudo é remido um dia. Juntei isso ao processo para antecipar a saída dele”, explicou Fábio.

De acordo com o advogado, a liberação não aconteceu porque “ninguém em Varginha quer ver o Bruno nas ruas”. Mas ele entende que será inevitável mudar o regime em novembro: “Não tem como não acontecer em novembro. É impossível. Só se acontecer alguma falta grave, o que é improvável”. Em 2013, Bruno cometeu uma “falta grave”, por se envolver em uma briga no presídio, o que atrasou em cerca de um ano a saída dele para o regime semiaberto.

Volta ao futebol

Aos 33 anos, Bruno voltará a jogar futebol quando estiver no regime semiaberto. Ele terá liberação para treinar e disputar jogos pelo Boa Esporte, time da Série B com o qual tem contrato. O acordo, fechado em 2017, é válido por 2 anos e está suspenso por enquanto, mas Fábio Gama diz que será reativado em novembro.

Bruno tem disputado “peladas” na prisão para se manter em forma. O único problema para o retorno, de acordo com o advogado, é a recuperação psicológica: “O Bruno está 80% pronto para voltar ao futebol. Fisicamente talvez esteja 100%, mas psicologicamente não está preparado. A pressão é muito grande. A mídia joga pedra e ataca ele. Trata ele como um criminoso cruel. Ele ainda sofre com essa pressão da população. Mas vai ter que aprender a lidar, porque vai seguir com isso pelo resto da vida”, destacou Fábio Gama.

O Boa Esporte tem jogos agendados apenas até 24 de novembro, data da última rodada da Série B. Portanto Bruno terá pouco tempo para voltar ao futebol neste ano. O retorno deve acontecer só em 2019. Atualmente o time de Varginha está na lanterna da segunda divisão e perto de cair para a Série C.