Alemanha vence o Chile e conquista a Copa das Confederações

  • Por Jovem Pan com EFE
  • 02/07/2017 16h53
Alemanha conquistou o título da Copa das Confederações pela primeira vez

Mesmo com um jovem time alternativo, a Alemanha aumentou o seu domínio no futebol mundial e conquistou o título da Copa das Confederações ao bater a seleção chilena por 1 a 0 em final disputada no estádio do Zenit, em São Petersburgo, na Rússia.

O Chile, bicampeão da Copa América, partiu para cima, fazendo muita pressão na marcação, mantendo a posse de bola por mais tempo. Logo aos 3 minutos, Aránguiz apareceu livre, quase na pequena área foi travado por Rudiger, e, na sobra, Vidal bateu e obrigou Ter Stegen a fazer ótima defesa à queima-roupa.

Aos poucos, os alemães conseguiram conter o ímpeto do rival, embora, aos 10, Vidal tenha assustado em chute de longe. Quatro minutos depois, os campeões mundiais chegaram com perigo pelo primeira vez, em contra-ataque, que terminou com cabeçada de Ginter sobre o travessão.

A resposta chilena veio pouco depois, aos 19, de novo com Vidal, que fez bela jogada e acertou uma bomba da intermediária. Ter Stegen defendeu, mas deu rebote e teve que se esticar todo para “dividir” bola com Sánchez, que não conseguiu finalizar para o gol.

Pressionada, a Alemanha mostrou que não estava acuada e deu mais um exemplo para respaldar a frase de Lineker. Aos 20, após vacilo de Díaz, que perdeu a bola na intermediária, Werner ficou frente a frente com Bravo e só rolou para Stindl, com gol aberto, marcar.

EFE

Os chilenos acabaram perdendo um pouco da força após a abertura do placar, com muitos erros no setor ofensivo. Aos 36, após belo lançamento do campo de defesa, os campeões mundiais chegaram bem de novo, com Goretzka recebendo e batendo cruzado, à direita do gol.

A Alemanha chegou bem de novo aos 40, quando Werner fez boa jogada pela esquerda, achou Draxler, que finalizou para fora. Três minutos depois, em nova cochilada da zaga da ‘Roja’, Goretzka recebeu na área e obrigou Bravo a fazer ótima defesa.

No segundo tempo, diante da dificuldade de ameaçar o adversário, Pizzi mudou a formação tática do Chile, colocando o atacante Valencia no lugar de Díaz logo aos 8. Dois minutos depois, no entanto, quem ameaçou foram os alemães, com Draxler batendo para o gol, em bola que Jara conseguiu cortar e salvar.

O jogo, aos poucos, foi tendo protagonistas com ânimos mais exaltados. Companheiros de Bayern de Munique, Kimmich e Vidal chegaram a trocar empurrões. Aos 18, Jara acertou cotovelada em Werner, e, depois de consultar o vídeo, o árbitro sérvio Milorad Mazic deu cartão amarelo para o chileno.

Embora sem a disposição apresentada na primeira etapa, os campeões da Copa América voltaram a levar perigo nos 15 minutos finais. Vargas foi o primeiro a assustar, ao obrigar Ter Stegen a fazer grande defesa. Ainda na sequência do mesmo lance, Vidal pegou sobra e bateu por cima do travessão, após desvio na zaga.

Aos 35, o dono da meta do Barcelona brilhou de novo, em grande intervenção após chute de Aránguiz, que sairia em seguida, para dar lugar a Sagal, enquanto Puch substituiu Vargas. Isso, minutos depois de Löw ter fechado um pouco mais a Alemanha, com Can entrando na vaga de Werner.

Nos instantes finais, o clima esquentou, mas não com jogadas de perigo, e sim com mais empurra-empurra. O técnico campeão mundial fechou ainda mais a equipe, com Sule na vaga de Goretzka. Aos 47, até mesmo o goleiro Claudio Bravo arriscou, cobrando falta linha central.

A última oportunidade chilena veio aos 49 minutos do segundo tempo, quando Sánchez soltou uma bomba, em cobrança de falta executada do lado esquerdo ofensivo, e obrigou a Ter Stegen trabalhar bem mais uma vez, garantindo a vitória por 1 a 0.

EFE

Esta é a primeira vez que a Alemanha conquista a Copa das Confederações, torneio que tem a Seleção Brasileira como seu maior vencedor, com quatro títulos. As atenções de chilenos e alemães se voltam agora para a conquista de uma chance de voltar à Rússia em 2018 para a disputa da Copa do Mundo.

O Chile ocupa a quarta colocação nas Eliminatórias e terá seu próximo compromisso em casa contra o Paraguai, somente no final de agosto. Já os alemães lideram isoladamente o grupo D e enfrentam a República Tcheca no dia 1/9.