Botafogo demite mais de 40 funcionários em meio à pandemia de Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 04/05/2020 14h55 - Atualizado em 04/05/2020 14h59
Vitor Silva/Botafogo/DivulgaçãoCarlos Augusto Montenegro é membro do comitê executivo de futebol do Botafogo

O Botafogo demitiu, na manhã desta segunda-feira (04), mais de 40 funcionários. Além da crise financeira pela qual o clube tem passado nos últimos anos, a pandemia do novo coronavírus contribuiu para o corte.

“Foi feita uma solicitação a cada departamento para que se avaliasse a possibilidade de demissões. O presidente Nelson Mufarrej está cuidando desta questão”, disse Carlos Augusto Montenegro, membro do comitê executivo de futebol, em entrevista ao Globoesporte.com.

Ex-presidente alvinegro, Montenegro disse ainda que tem havido reuniões semanais para avaliar as ações do Botafogo durante a pandemia. Ele afirmou que, ao menos em maio, não haverá redução salarial dos jogadores.

“A decisão pelo menos nesse mês de maio é de não reduzir. Se as coisas começarem a melhorar como imaginamos e os treinos voltarem no final de maio e início de junho, não haverá redução. Se a pandemia persistir, vamos sentar e conversar”, explicou.

O dirigente também disse que ainda não há previsão para quitar os salários atrasados dos jogadores (CLT de março e férias de abril), mas revelou que os outros funcionários do clube devem receber parte do que têm direito até o fim da semana.

O Botafogo vive grave crise financeira há pelo menos dois anos e já considerava muito elevado o número de funcionários antes mesmo da pandemia do novo coronavírus. Além das demissões, o clube pretende rever o orçamento previsto para 2020 – a proposta que foi aprovada pelo Conselho Deliberativo é de R$ 229,3 milhões.