Bruno se compara a Jobson e ao cantor Belo e diz: ‘Só quero trabalhar’

  • Por Jovem Pan
  • 03/01/2020 18h25 - Atualizado em 03/01/2020 18h28
Renata Caldeira/TJMG Bruno

O goleiro Bruno, que está no regime semiaberto cumprindo pena pelo assassinato e sequestro de Elisa Samudio, concedeu entrevista ao jornal “O Tempo”, de Minas Gerais, e pediu uma chance para trabalhar.

O jogador negocia com o Tupi de Juiz de Fora para mais uma vez voltar aos gramados. Seu último clube foi o Poços de Caldas FC. Bruno aguarda o fim do recesso do Judiciário para enviar um pedido de trabalho externo ao Fórum de Varginha, cidade em que o goleiro cumpre pena.

“Preciso sustentar minha família e ainda pago pensão. Como vou fazer se não voltar a trabalhar? Quem vai pagar minhas contas? Quem vai colocar comida na minha mesa? Como vou fazer pra sustentar minha família? Então tenho que trabalhar. E a própria sociedade cobra isso (trabalho) dos presos. Por que comigo as coisas são diferentes? Só quero trabalhar”, afirmou Bruno.

“O Jobson teve um problema sério com a Justiça e teve autorização de voltar a trabalhar, assim como cantor Belo e outros tantos famosos no Brasil. Meu caso não é diferente”, finalizou.