Buffon diz lamentar mais derrota na Champions do que fracasso da Itália

  • Por EFE
  • 02/01/2018 10h24
EFEA Liga dos Campeões é o único título que Buffon nunca conquistou na carreira

O goleiro Gianluigi Buffon, da Juventus, afirmou nesta terça-feira (2), em entrevista ao jornal La Gazzetta dello Sport, que sente mais a derrota na decisão da Liga dos Campeões para o Real Madrid do que a eliminação da seleção da Itália na repescagem para a Copa do Mundo de 2018 contra a Suécia.

“Não repetiria o (jogo entre) Itália e Suécia. Não falhamos com nosso espírito, atitude ou união, mas revelamos ter alguns limites. (…) Voltaria a jogar a final de Cardiff porque, se contra a Suécia demos 80% ou 90%, contra o Real Madrid nos faltou unidade no segundo tempo, algo que sempre foi nosso ponto forte”, afirmou Buffon, quando perguntado sobre que partida gostaria de jogar novamente.

Na decisão da Champions, disputada no último dia 3 de junho, a Juventus foi para o intervalo empatando contra o Real Madrid por 1 a 1. Mas, no segundo tempo, levou três gols e ficou sem o título, o único não conquistado pelo veterano goleiro na carreira.

“Talvez tenhamos pensado que podíamos jogar de igual para igual e não é assim. Há valores diferentes. Uma equipe especialista deve entender que pode vencer de qualquer outra de uma determinada maneira. Quando o nível sobe, é preciso estar muito atento”, explicou Buffon na entrevista.

No entanto, Buffon não escondeu sua decepção pelo fracasso vivido pela Itália nas Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo de 2018. Para o veterano goleiro, campeão mundial em 2006, a culpa da eliminação é de todos os jogadores, não só do técnico da Azzurra, Gian Pietro Ventura.

“Não o reprovo em nada e não é retórica porque quando as equipes fracassam a culpa é de todos. Há momentos que você não está à altura. Nunca foi fácil contra a Suécia, nem sequer quando éramos muito bons”, disse o goleiro.

A derrota marcou o fim da carreira de Buffon com a seleção. O goleiro de 39 anos confirmou que planeja se aposentar do futebol no fim da temporada. A única possibilidade de continuar jogando é se a Juventus conquistar a Champions neste ano.

“Essa é a única coisa certa”, indicou o goleiro, afirmando que seguiria com a Velha Senhora até a disputa do Mundial do Clubes.

O goleiro admitiu que, ao chegar aos 40 anos, é preciso entender qual papel desempenhar e não se tornar um peso para o clube.

“Um homem de 40 anos tem que entender sua responsabilidade. Nunca serei um problema, mas, para os que me deram muito, como a Juventus e a seleção, sempre estarei pronto, em qualquer papel”, afirmou.

Buffon também foi perguntado sobre a possibilidade de o jovem goleiro do Milan Gianluigi Donnarumma ser contratado pela Juventus. Para o veterano, jogar pela Velha Senhora nunca é um erro.

“Com a Juventus você nunca erra. Mas não posso dar conselhos a ele porque não vivo sua situação, não conheço a relação emotiva que ele tem com o Milan”, disse Buffon.