Caboclo alega ser inocente, nega intenção de demitir Tite e promete voltar à CBF

O dirigente também disse que não houve conversas sobre um possível boicote dos jogadores à Copa América, que terá início no Brasil no domingo, 13

  • Por Jovem Pan
  • 07/06/2021 17h45 - Atualizado em 07/06/2021 18h05
Leandro Lopes/CBF/DivulgaçãoRogério Caboclo está sendo acusado de ter cometido assédio sexual e moral contra uma funcionária da CBF

Rogério Caboclo se manifestou pela primeira vez após ser afastado da presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) devido às acusações de assédio sexual e moral contra uma funcionária. Em entrevista, o dirigente afirmou que irá provar a sua inocência, prometeu voltar ao comando da entidade e negou que tinha a intenção de tirar Tite do cargo de técnico da seleção brasileira. “Não posso falar nada sobre isso porque tudo será tratado na minha defesa. Eu sou inocente. Tenho absoluta certeza de que vou provar isso”, disse à “ESPN” na tarde desta segunda-feira, 7.

Caboclo também disse que não houve conversas sobre um possível boicote dos jogadores à Copa América, que terá início no Brasil no domingo, 13, no estádio Mané Garrincha. Até a semana passada, a Argentina é quem sediaria a competição. “Os jogadores nunca falaram em boicotar a Copa América, em nenhum momento isso aconteceu (reunião com os atletas). E eu nunca quis trocar o Tite, a comissão técnica. Nós estaremos todos juntos na Copa de 2022, e para vencer”, declarou o dirigente, que descartou renunciar ao cargo durante o período de trinta dias de afastamento. “Não há dúvida nenhuma de que voltarei (à presidência da CBF). A minha família toda está me apoiando, minha mulher, meu filho, meus pais, minha ex-mulher”, comentou.