Casagrande defende participação política no esporte: “quem proíbe apoia ideias reacionárias”

  • Por Jovem Pan
  • 28/02/2018 09h42 - Atualizado em 28/02/2018 10h01
DivulgaçãoCasagrande foi um dos líderes da Democracia Corintiana durante a década de 1980

Walter Casagrande Jr resolveu se pronunciar após texto polêmico de Tiago Leifert, que defendeu que política e esporte não deveriam se misturar. O comentarista da TV Globo, em artigo publicado também na revista GQ, afirmou que protestos como a Democracia Corintiana, na década de 1980, “contribuíram para um mundo melhor”.

“Eu tenho orgulho de ter participado, em 1979, de um show a favor da anistia dos presos políticos. Também me orgulho de, em 1982, ter feito um show para pedir a redemocratização do País. Eu tenho orgulho de ter participado do movimento das Diretas Já. E tudo isso enquanto era atleta profissional, jogador do Corinthians. Por que hoje eu não poderia fazer isso? Quem proíbe o jogador de participar disso está, indiretamente, apoiando ideias reacionárias”, afirmou o comentarista.

Casagrande também fez uma crítica implícita aos apoiadores da intervenção militar na segurança pública do Rio de Janeiro e do pré-candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro ao afirmar que “vivemos tempos estranhos”:

“Um extrato privilegiado da população bate no peito sem constrangimento algum para apoiar um defensor da ditadura (sem falar nas posições do mesmo sobre mulheres e homossexuais) que figura entre os favoritos na corrida presidencial. Pior, banqueiros o aplaudem de pé. O que fazer? Lamentar é a solução mais óbvia. Prefiro enfrentar com diálogo. Afinal, esta é a grande conquista da democracia”.