CBF tem dificuldade com árbitro de vídeo e pode adiar adoção na próxima rodada

  • Por Estadão Conteúdo
  • 19/09/2017 21h15 - Atualizado em 19/09/2017 21h21
Discussão sobre a utilização do árbitro de vídeo na próxima rodada terá continuidade nesta quarta-feira

A CBF está encontrando dificuldades técnicas para a implantação do Árbitro de Vídeo. O sistema tem algum nível de complexidade e a Comissão de Arbitragem ainda não conseguiu encontrar a melhor maneira de resolver os problemas. A disposição de utilizar o recurso já na próxima rodada do Campeonato Brasileiro permanece, mas existe uma corrida contra o tempo para que a estreia possa ocorrer.

Reunião realizada nesta terça-feira (19) na sede da entidade, no Rio, com a presença de integrantes da comissão e a participação de representantes da Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão e que vai ceder as imagens, debateu as dificuldades. Entre as questões a ser resolvidas estão a transmissão do sinal, a forma de uso das imagens, locais para instalação dos equipamentos nos estádios e até a aquisição de monitores e sua alimentação.

As discussões seguirão nesta quarta-feira (20). Há quem considere ruim a pressa na adoção do Árbitro de Vídeo – o uso do recurso foi determinado pelo presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, na última segunda-feira (18), em reação à polêmica causada pelo gol marcado com a mão pelo atacante Jô na vitória do Corinthians por 1 a 0 sobre o Vasco, no dia anterior. Não está descartado um adiamento.

Outro problema é que poucos árbitros brasileiros da ativa receberam treinamento para trabalhar com o vídeo. Sandro Meira Ricci, Wilson Pereira Sampaio e Anderson Daronco fizeram curso na Conmebol, que vai implantar o sistema nas semifinais da Libertadores da América. Péricles Bassols Pegado Cortez está sendo preparado pela CBF.

Além disso, a CBF terá de obter uma autorização da International Board (Ifab) para que possa usar oficialmente o vídeo na arbitragem do Campeonato Brasileiro. Foi o que disse nesta terça-feira o secretário-geral da entidade, Lucas Brud. O dirigente elogiou a preparação da CBF. “Principalmente considerando o tamanho do país e da diferença de infraestrutura que existe entre os estádios, acredito que o trabalho tem sido bem feito”, afirmou.