Com 3 promotoras, Ministério Público de São Paulo vai acompanhar o ‘caso Neymar’

  • Por Jovem Pan
  • 11/06/2019 15h17 - Atualizado em 11/06/2019 22h05
ReproduçãoNeymar acusado de estupro

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) determinou que três promotoras de Justiça acompanhem a acusação de estupro contra o atacante Neymar feita pela modelo Najila Trindade, no dia 31 de maio, na 6.ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Santo Amaro, na zona sul da capital paulista. A portaria 7807/19 já foi publicada no “Diário Oficial” no último sábado (8).

As promotoras de Justiça de Enfrentamento à Violência Doméstica Estefânia Ferrazzini Paulin, Flávia Cristina Merlini e Katia Peixoto Vilani Pinheiros Rodrigues serão as responsáveis por acompanhar o inquérito policial que investiga a suposta agressão sexual do jogador contra a modelo, em Paris, no dia 15 de maio.

Ainda não se sabe ao certo quando Neymar será ouvido. A expectativa é que o jogador preste depoimento no final de semana, mas não está descartado que ocorra nesta quinta-feira (13). Autoridades e o staff do atleta tentam armar um plano de segurança para o jogador ir à zona sul de São Paulo

A exemplo do que aconteceu no depoimento de Najila Trindade, na última sexta-feira (7), o Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil estará na delegacia para garantir a segurança e restringir o acesso de curiosos ao local. O número de policiais, no entanto, deverá ser reforçado, pois houve um pequeno tumulto durante a chegada da modelo à delegacia.

Esse será o segundo depoimento de Neymar sobre o caso. O primeiro aconteceu no Rio de Janeiro, no último dia 6, quando o atleta falou na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática por causa do vazamento de imagens íntimas da modelo.

*Com informações de Estadão Conteúdo