Como devoção pelo Corinthians faz Maycon adiar “sonho europeu”

  • Por Jovem Pan
  • 15/08/2017 08h00 - Atualizado em 15/08/2017 08h19
Titular absoluto do Corinthians, Maycon nutre verdadeira devoção pelo clube alvinegro. Volante tem apenas 20 anos

Poucos jogadores simbolizam tão bem o atual Corinthians quanto Maycon. Discreto, o meia, que passou o segundo semestre de 2016 emprestado à Ponte Preta, começou o ano longe dos holofotes, imerso em uma timidez comum aos jovens de 20 anos. Mas o tempo passou, e o jogador mostrou maturidade anormal para um garoto que sequer completou duas temporadas como profissional. Titular absoluto do time comandado por Fábio Carille, o canhoto vive, sem dúvidas, um momento especial.

Parceiro de Gabriel na cabeça de área alvinegra, Maycon é um dos pilares do líder invicto do Campeonato Brasileiro. Dono de rara inteligência tática, ocupa espaços como um veterano e ainda tem qualidade para chegar à frente. É, num linguajar mais prático, o “todo-campista” do Corinthians que encanta o País em 2017. Tudo isso… Aos 20 anos.

O jogador, que estreou nos profissionais do Corinthians em fevereiro do ano passado, voltou ao clube do coração em janeiro e, desde o histórico clássico contra o Palmeiras, em Itaquera, não saiu mais do time titular de Fábio Carille.

A fase é ótima, e, ao lado de Guilherme Arana, Maycon é o jogador com maior potencial de venda do elenco corintiano. Uma negociação não deve demorar a acontecer. Mas, apesar de sonhar em jogar na Europa, o meia nutre devoção que o impede de se imaginar longe do Corinthians em um futuro não tão distante.

“Um dia eu quero jogar na Europa, sim, mas ainda está longe. Quero fazer uma história bonita com a camisa do Corinthians antes. E, se um dia eu vier a sair, quero voltar no auge da carreira para representar melhor ainda essa camisa. Se eu sou o que sou hoje é por causa do Corinthians. Sou muito grato ao clube”, discursou o jovem, em entrevista exclusiva a André Ranieri, para a Rádio Jovem Pan.

Em um bate-papo de aproximadamente dez minutos, Maycon também revelou ser fã do futebol europeu; afirmou que se vê representando a Seleção Brasileira em uma Copa do Mundo nos próximos anos; e contou que é perfeccionista a ponto de não aceitar qualquer tipo de erro em uma partida oficial.

Marco Galvão/Foto Arena/Estadão Conteúdo

Maturidade aos 20 anos

“Ela veio até pela sequência de jogos, né? Eu fui emprestado no ano passado, joguei na Ponte Preta, peguei uma experiência lá… É mais ou menos como eu já disse outras vezes: tem algumas coisas que a gente não pode mais errar. Temos sonhos e, em uma Copa do Mundo, por exemplo, não se pode cometer erros. Temos de aprender no dia-a-dia, nos treinos. No jogo, não há espaço para erros.”

4ª força x elogios

“Sempre vai ter essa coisa, né? É natural. Mas a gente não fica preocupado… Não nos importávamos com as críticas e não vamos nos deslumbrar com os elogios. Temos de manter os pés no chão. Fizemos um grande primeiro turno, mas ainda estamos longe do nosso objetivo, que é conquistar o título. Bloqueamos o nosso vestiário para o que é falado de fora”.

Sonho de jogar na Seleção

“Eu espero um dia ser convocado, né? Trabalho para isso. Para a Copa do ano que vem, é muito difícil… É uma hipótese que, inclusive, eu não espero, porque vai precisar de contusões e outras coisas pelas quais eu não torço. Mas vou trabalhar para que eu possa estar numa Copa futura… Em 2022 ou em uma outra. Disputar uma Copa do Mundo representando o meu País é o meu sonho.”

País em que melhor jogaria na Europa

“Eu gosto do futebol inglês e espanhol. São os campeonatos que eu mais acompanho, até pelas características de toque de bola, jogo rápido, dinâmico… É mais ou menos como eu jogo, né? Eu observo muito os jogadores de lá, até para evoluir. Um dia eu quero estar lá, sim, mas ainda está muito longe. Quero fazer uma história bonita com a camisa do Corinthians antes. E, se um dia eu vier a sair, quero voltar no auge da carreira para representar melhor ainda essa camisa. Se eu sou o que sou hoje é por causa do Corinthians. Sou muito grato ao clube”

Quais times acompanha na Europa

“Eu gosto de assistir aos jogos de Real, Barcelona, Chelsea, Juventus… São times que eu acompanho. Mas torcida, mesmo, é só pelo Corinthians. Está de bom tamanho. Eu assisto e acompanho porque gosto e preciso aprender, mas no meu coração só tem espaço para o Corinthians.”