Como uma conversa com Tite fez “goleiro-sensação” do Brasileiro estourar aos 28 anos

  • Por Jovem Pan
  • 16/08/2017 12h28 - Atualizado em 16/08/2017 12h32
Douglas Friedrich, 28 anos, é uma das gratas surpresas do Campeonato Brasileiro em 2017

“Apesar do rostinho bem cuidado, eu tenho 28 anos… Muitos se impressionam com a minha idade, acham que eu tenho menos, mas, pela minha história, muitos diriam que eu tenho mais”. A frase é de Douglas Friedrich, “goleiro-sensação” do Campeonato Brasileiro. Titular e destaque do Avaí na competição nacional, o jogador é uma das gratas surpresas do País em 2017. Aos 28 anos…

Autor de inúmeras defesas difíceis e responsável por fazer do Avaí o dono da terceira melhor defesa da metade final da tabela de classificação, Douglas estourou tarde na carreira. Profissionalizou-se há dez anos, aos 18, mas só ficou conhecido nesta temporada, já perto dos 30. Ele rodou por Paraná, Rio Grande do Sul, interior de São Paulo e até jogou no Irã. Mas foi só depois de um papo franco com o técnico da Seleção Brasileira que ganhou confiança para acumular grandes atuações na Série A.

Tudo aconteceu em 2016. Contratado pelo Corinthians após se destacar por Capivariano e Bragantino, Douglas vivia a expectativa de ser o segundo goleiro do time alvinegro no ano seguinte ao do hexacampeonato nacional. A tendência, afinal, era a de que ou Cássio ou Walter fosse vendido pela diretoria paulista. No fim, no entanto, ambos ficaram, o que motivou o papo de Tite com o recém-contratado.

“Eu fui para o Corinthians porque havia uma possibilidade de ou o Cássio ou o Walter sair. Isso quase se concretizou no ano passado. O Cássio quase foi negociado com o Besiktas. Mas isso não aconteceu, e eu continuei lutando, sabendo que, com a permanência dos dois, eu muito provavelmente teria de dar continuidade em outro lugar e esperar a minha oportunidade”, descreveu Douglas, em entrevista exclusiva a Bruno Prado que vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan.

Foi nessa hora que o melhor técnico do Brasil chamou Douglas para uma conversa que mudou os rumos da carreira do goleiro. “O Tite foi muito leal, muito correto comigo. Ele conversou comigo e deixou claro que me via como um grande goleiro, mas que não seria leal da parte dele me deixar no Corinthians brigando com o Cássio e o Walter, porque eles já tinham um tempo de clube, e ele valorizava muito isso. Ele sugeriu que eu fosse emprestado para ter sequência em outro clube. Segui esse conselho e está dando certo. Estou tendo uma sequência no Avaí que está sendo muito boa para mim”, acrescentou.

Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians/Divulgação

Antes disso, Douglas havia sido cedido ao Grêmio – uma lesão, no entanto, o obrigara a retornar ao Timão. O contrato dele com o clube alvinegro vai até dezembro de 2018, e, pelo menos até o fim da atual temporada, o arqueiro vai permanecer no Avaí. Depois disso, ninguém sabe… Douglas pode até, por que não, voltar ao Corinthians para cumprir o último ano de contrato.

“Ainda temos todo o returno do Campeonato Brasileiro pela frente. É muito cedo para pensar lá na frente. Tudo depende do que eu continuar apresentando aqui no Avaí. O Corinthians tem a prioridade, por ter os meus direitos. É continuar fazendo um grande campeonato, e, no fim do ano, a gente vê o que vai acontecer… Se eu volto pro Corinthians, fico no Avaí ou vou para outro clube. Não posso descartar nada”, decretou.

Neste momento, após 20 rodadas, o Avaí está na zona de rebaixamento e ocupa a 18ª posição do Campeonato Brasileiro com 21 pontos. O próximo compromisso será no domingo, às 16h (de Brasília), contra o São Paulo, na Ressacada. Uma vitória no confronto direto pode até tirar a equipe catarinense das quatro últimas colocações.

Roberto Vinícius/Estadão Conteúdo