Conselheiro expõe pressão sobre Mattos: “ele está com o prazo vencido!”

  • Por Jovem Pan
  • 18/08/2017 16h46 - Atualizado em 18/08/2017 16h46
Jales Valquer/FotoArena/Estadão Conteúdo Alexandre Mattos está no Palmeiras desde janeiro de 2015. Desde então, ele já ganhou um título da Copa do Brasil e um do Campeonato Brasileiro

Há pelo menos três meses, circula nos corredores da Academia de Futebol a informação de que Alexandre Mattos sofre forte pressão por parte de conselheiros. Nesta sexta-feira, essa tese deixou o campo hipotético. Em entrevista exclusiva a Fredy Junior que vai ao ar no próximo fim de semana, na Rádio Jovem Pan, o conselheiro e membro do Conselho de Orientação e Fiscalização (COF) do Palmeiras Gilto Avallone abriu o jogo e expôs toda a insatisfação de uma ala da política alviverde com o trabalho do diretor de futebol.

“Foi um ano frustrante. Não sei se foi falta de planejamento… Eu digo que foi incompetência do senhor Alexandre Mattos. Desde janeiro eu venho alegando que este cidadão está com o prazo vencido no Palmeiras. Não me interessa se ganhou dois títulos… Não me interessa! Ele está com o prazo vencido! Eu dizia desde abril que, em agosto, nós estaríamos fora de todas as competições. Todos riram de mim, falaram que eu era louco… A consequência está aí. Contratou mal, jogou um caminhão de dinheiro fora, e a consequência é essa: brigar por uma vaga na Libertadores”.

A forte opinião é de Gilto, é verdade, mas seria ingênuo não relacioná-la ao que que pensa uma grande ala de conselheiros do Palmeiras. Gilto, hoje, é ligado a Mustafá Contursi – ex-presidente do clube e nome mais forte da política alviverde há pelo menos 20 anos. Mustafá também não gosta da atuação de Mattos e defende a presença de um diretor estatutário, ou seja, ligado ao clube, ao lado do homem-forte do futebol palmeirense.

O trabalho de Alexandre Mattos, campeão brasileiro e da Copa do Brasil com o Palmeiras, passou a enfrentar forte resistência interna a partir do primeiro trimestre deste ano. A alegação é de que ele gastou demais e não qualificou o time para as competições disputadas na temporada – em especial, a Libertadores.

“Gastar essa fortuna que gastou para brigar por uma vaga na Libertadores é muito pouco. É frustrante! Mas o Palmeiras segue a vida. Ele é grande, enorme, e vai ganhar uma Libertadores… Sem o Alexandre Mattos”, disparou Gilto, sem nem se preocupar com a já anunciada revisão de investimentos por parte da Crefisa em caso de saída do dirigente. “Se ele sair, a Leila (Pereira, presidente da Crefisa) não precisa nem rever investimentos. Ela já vai ter economia automática de mais de 50%. Não vai gastar R$ 112 milhões… Vai gastar R$ 50 milhões, e vamos ser campeões”.

Bicampeão brasileiro pelo Cruzeiro em 2013 e 2014, Alexandre Mattos chegou ao Palmeiras em janeiro de 2015. Em dois anos no clube, o diretor acumulou mais de 40 contratações e conquistou dois títulos: o da Copa do Brasil, em 2015, e o do Campeonato Brasileiro, em 2016.

Ele tem contrato com o clube até dezembro de 2018 e, segundo o presidente, Maurício Galiotti, não será demitido antes disso.