Conselheiros fazem pressão por volta de Paulo Nobre ao Palmeiras

  • Por Jovem Pan
  • 13/07/2017 15h09 - Atualizado em 13/07/2017 15h16
SÃO PAULO, SP - 28.03.2016: TREINO DO PALMEIRAS - O presidente Paulo Nobre, da SE Palmeiras, concede entrevista coletiva durante treinamento, na Academia de Futebol, no bairro da Barra Funda. (Foto: Cesar Greco / Fotoarena)Paulo Nobre presidiu o Palmeiras de janeiro de 2013 a dezembro de 2016

O desejo por um homem forte no futebol, que divida responsabilidades com Alexandre Mattos e atue ao lado do diretor na Academia de Futebol, faz crescer a pressão por um possível retorno de Paulo Nobre ao Palmeiras. A informação é do repórter Fredy Junior, da Rádio Jovem Pan.

Em participação no Esporte em Discussão desta quinta-feira, o jornalista revelou que conselheiros do Palmeiras já fazem lobby pela volta do ex-presidente ao clube. Ele chegaria para ocupar um cargo na direção de futebol – desejo que, segundo Fredy, o cartola sempre teve.

“A derrota para o Corinthians pesou muito, intensificou as movimentações na política do Palmeiras. Nesse momento, há conselheiros defendendo a volta do presidente Paulo Nobre. Não como presidente, mas como um diretor de futebol, que era um sonho do Paulo”, informou o repórter da Rádio Jovem Pan.

Críticos a Maurício Galiotte dizem que ele tem pouca participação no futebol do Palmeiras. Como argumento, citam que o mandatário despacha da sede social, e não da Academia, como o seu antecessor. Um retorno de Nobre resolveria esse problema. “O Paulo tinha uma participação muito forte no futebol do Palmeiras até o ano passado, e muitos creditam a essa participação o sucesso do time nas últimas temporadas”, afirmou Fredy.

Hoje, no entanto, é pouco provável que o ex-presidente tope voltar ao Palmeiras. Ele deixou o clube brigado com Leila Pereira, presidente da Crefisa, e também não tem mais relação de confiança com Maurício Galiotte, atual mandatário alviverde. Ex-aliados, os dois divergiram justamente quanto à legalidade da candidatura de Leila ao conselho palmeirense, no início do ano.

“O Paulo Nobre tem uma dificuldade de relação muito grande com a Leila Pereira, presidente da Crefisa… Mas já tem gente dizendo que o Maurício Galiotte não está mostrando ser o gestor que aparentava. Ele tirou licença e está de férias nesse momento, viajando… Era uma viagem que já estava marcada há dois anos, mas já tem gente pedindo o retorno dele, porque o Palmeiras não se acerta nem dentro, nem fora de campo”, explicou Fredy.

Segundo o repórter, mesmo se Nobre não voltar – hipótese mais provável –, a pressão pela nomeação de um homem forte no futebol não cessará. “Se não for o Paulo Nobre, vai continuar a pressão pela contratação de um diretor estatutário, que seja ligado ao clube e esteja próximo a Alexandre Mattos e Cícero Souza. Essa gestão do futebol está gerando muitas críticas”, finalizou.