Copa América: COL confirma problemas no VAR, mas nega interferência de equipe de Bolsonaro

  • Por João Vitor Rocha
  • 03/07/2019 16h41 - Atualizado em 03/07/2019 16h50
EFE/Fernando BizerraMessi reclamou da arbitragem na partida entre Brasil e Argentina

A comunicação por rádio entre os árbitros de campo e do VAR que trabalharam no jogo entre Brasil e Argentina, nesta terça-feira (2), em Belo Horizonte, apresentou problemas momentos antes da bola rolar.

Segundo informações divulgadas pelo GloboEsporte.com e confirmadas pela reportagem da Jovem Pan, houve uma interferência na frequência de rádio utilizada pelos árbitros, mas a situação foi resolvida antes da partida começar.

O Brasil venceu o jogo por 2 a 0 e avançou para a final da Copa América. Os argentinos, no entanto, reclamaram da arbitragem, e Messi destacou que o VAR não foi utilizado.

De acordo como Comitê de Organização Local (COL), a falha na comunicação da equipe de arbitragem não foi causada por interferência dos rádios utilizados pela equipe de segurança do presidente Jair Bolsonaro, que esteve no Mineirão para acompanhar o jogo.

Arbitragem polêmica

A arbitragem de campo foi comandada pelo equatoriano Roddy Zambrano, com auxílio de Christian Lescano e Byron Romero, também do Equador. O uruguaio Leodan González liderou a equipe do VAR.

Zambrano não consultou o vídeo em nenhum lance da partida, o que gerou a revolta dos argentinos. Eles reclamam de um suposto pênalti na origem da jogada do segundo gol do Brasil e de outro em cima do zagueiro Otamendi, no fim do segundo tempo.

Após o jogo, Messi indicou que a arbitragem não foi bem. “Como disse, todas as faltas vão para eles [Brasil], cartão para a gente, para eles não, jogadas claras que não foram ver no VAR. Nesta Copa, cansaram de marcar toques de mão bobos, pênaltis bobos, e hoje nem sequer foram ao VAR”, reclamou.