Andrés Sanchez fala em “chororô” do Palmeiras e ironiza gastos de rival

  • Por Jovem Pan
  • 27/04/2018 17h00
PETER LEONE/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOAndrés Sanchez acompanha o treino do Corinthians no CT Joaquim Grava

Em entrevista coletiva realizada na tarde desta sexta-feira (27), no CT Joaquim Grava, Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, classificou a tentativa do Palmeiras de impugnar a final do Campeonato Paulista como “chororô” e ironizou o dinheiro gasto pelo rival com o futebol. Na opinião do cartola alvinegro, o salário de Dudu, capitão do Verdão, é injusto se comparado com o de seus companheiros.

“O que o Palmeiras tem de entender e aprender é que não adianta pagar R$ 1 milhão para um jogador e outro ganhar R$ 400 mil, R$ 500 mil, sendo o capitão do time”, disse Sanchez, que emendou: “(Dudu) é um excelente jogador, mas ganha metade do que ganham lá. Eu acho injusto. É a mesma coisa pegar o Rodriguinho e ganhar cinco vezes mais do que o Balbuena. Não vai dar certo. Estou dando o caminho das pedras para o Palmeiras”.

Questionado sobre a briga do Palmeiras no Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo por conta da suposta interferência externa sofrida pela arbitragem da final do Campeonato Paulista, o presidente alvinegro disse que não está preocupado as consequências da investigação. Além disso, Andrés sugeriu a diretoria alviverde buscar seus direitos na justiça comum e ministério público.

“Se impugnar a final do Campeonato Paulista, vão jogar sozinhos lá. Vão fazer um treino leve lá, reserva contra titular. Eu, se fosse o presidente do Palmeiras, iria para a justiça comum, federal, ministério público. Não tem nada a ver com esporte, mas iria. É um direito. O chororô é livre. Eu já chorei também. Então, quando perde, chora. Mas manda fazer o futebol melhor”, ironizou o cartola.